Terceira edição da Marujada faz homenagem ao dia do choro

A jam session acontece uma vez por mês e é uma atividade comandada pelo Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes

Se estivesse vivo, Pixinguinha completaria 121 anos no próximo dia 23 de abril. O músico carioca ficou conhecido nacional e internacionalmente como um dos maiores artistas de choro do Brasil. Não por acaso, a data de seu aniversário foi instituída por lei, sancionada em 2000, como o dia nacional dedicado a este gênero musical. Em comemoração, a edição de abril da Marujada, criado pelo Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes, será voltado especialmente ao choro. O evento acontece no próprio dia 23, a partir das 19h, no hall do café e é aberto a todos os músicos interessados.

Com foco no choro cearense, esta edição está sendo organizada pelo músico Pedro Madeira, um dos nomes da cena deste gênero musical aqui no Ceará. Pedro é integrante da Orquestra Popular do Nordeste (OPN), um dos projetos selecionados no Lab. Música 2017. A Marujada contará com a participação de músicos da OPN, além do próprio Pedro, e terá também a presença do músico Samuel Rocha, que participou do Laboratório em 2015 com o projeto Murmurando sob orientação de Zé Nogueira, Samuel Rocha, Pedro Ernesto, Mateus Farias, Rafael Melo, Luís Ramon e o grande Macaúba do Bandolim, um dos maiores nomes do chorinho no Ceará.

A cantora Mona Gadelha, coordenadora do Laboratório de Música, destaca a relevância desta celebração ao dia do choro no Porto Iracema. “Nós temos no Ceará uma tradição muito forte no choro, com grandes mestres como Macaúba (do Bandolim), Tarcísio Sardinha e Carlos Patriolino. Isso faz com que seja ainda mais importante a gente marcar esse dia 23 e estimular cada vez mais as pessoas a conhecerem, mergulharem e usufruirem dessa música tão sofisticada e, ao mesmo tempo, tão popular que é o choro”, ressalta.

SOBRE O MARUJADA

Criado em janeiro deste ano, a “Marujada” é uma jam session aberta a artistas da cidade, ex-participantes do Lab. Música ou não, que são convidados a trazer seus instrumentos e mostrar trabalhos autorais, releituras e improvisos. O termo que dá nome à atividade é inspirado nas poéticas do mar, numa metáfora dos encontros que surgem, naturalmente, nos espaços da Escola. A participação é aberta, bastando apenas se fazer presente no dia e dar o nome para a lista de apresentações, que seguirá a ordem de chegada.

SERVIÇO
O quê: “Terceira edição da Marujada homenageia dia do choro”
Quando: Segunda-feira, 23 de abril, às 19h
Onde: Hall do café do Porto (R. Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema)
GRATUITO

Assessoria de Comunicação do Porto Iracema das Artes | Myke Guilherme
Publicado em 11/04/2018 e Atualizado em 20/04/18