Sexualidade feminina para além da normatividade é tema do próximo Entre Telas Artes Visuais

O bate-papo contará com a presença da artista Carliane Menezes (Capitu), que falará sobre tabus e sua ressignificação através da arte. A live integra a programação especial de aniversário do Porto Iracema

Traição e sexualidade são alguns dos temas que compuseram a trajetória de Carliane Menezes como pesquisadora. Através de zines, poesias e desenhos em tecido, a artista reflete sobre a importância de investigar a sexualidade feminina e a busca pela ressignificação de conceitos. Ela marcará presença em nova edição do Entre Telas Artes Visuais, que acontecerá na próxima segunda-feira (17), no Instagram do Porto Iracema, a partir das 10h15min.

O título da live, “Sexualidade feminina para além da normatividade”, é também seu atual foco de pesquisa, com o qual busca ressignificar e criar uma rede de cuidados e afetos através da arte, divulgando os problemas da pornografia convencional. Também conhecida como “Capitu”, Carliane começou a fazer zines em 2007, onde refletia sobre traição a partir do clássico livro Dom Casmurro, de Machado de Assis. Passou a escrever poesias eróticas durante a graduação em Filosofia e, na sequência, enveredou também sobre poliamor, relacionamento aberto e poligamia, além de pesquisar sobre pós-pornografia.

No bate-papo, mediado pela coordenadora do Lab Artes Visuais da Escola, Aline Albuquerque, a artista falará também sobre suas produções atuais e seu objetivo de afrontar tabus e compartilhar educação sexual para as próximas gerações de adolescentes a fim de prevenir uma sociedade do sexo performático.

Promovido pelo Porto Iracema das Artes, o Entre Telas Artes Visuais organiza conversas online com artistas e pesquisadores procurando debater a criação artística em diferentes contextos. Esta edição integra a programação especial “Sete Mares do Porto”, realizada no mês de agosto em comemoração ao aniversário de 7 anos da Escola.

Sobre Carliane Menezes

Também conhecida por “Capitu” começou a fazer zines em 2007 em papel sulfite. Escrevia reflexões acerca do tema “traição”, extraídas do livro Dom Casmurro, de Machado de Assis. Durante a faculdade de Filosofia, estudando Marquês de Sade, passa a escrever poesias eróticas. Com o término do curso, houve uma mudança no seu processo criativo: passou a escrever e desenhar em tecido poesias sobre poliamor, relacionamento aberto e poligamia. Em 2017 numa pesquisa etnográfica em busca de relatos sexuais, conheceu uma turista que se afirmava ninfomaníaca, compartilhando histórias reais sobre comportamento sexual “bizarro”. Desde então, passou a pesquisar sobre pós-pornografia, no mesmo momento em que atuava como professora estadual, deparando-se com adolescentes viciados em pornografia mainstream.

Diante dessa problemática, Carliane decidiu focar na temática “Sexualidade feminina para além da normatividade “Sexualidade feminina para além da normatividade” a fim de discutir questões sobre menstruação e masturbação da mulher -negra- Acreditando na importância de investigar a sexualidade das mulheres (re)significando e criando uma rede de cuidados e afetos através da arte, divulgando os problemas da pornografia convencional. Capitu, hoje, usa seu próprio sangue menstrual em seus atos orgânicos, afrontando tabus, (re)descobrindo beleza na existência, compartilhando para as próximas gerações uma educação de adolescentes sem neuras a fim de prevenir uma sociedade do sexo performático. Almeja criticar instituições/práticas que se dizem alternativas/tradicionais, mas que no fundo são elitistas, transfóbicas e anticoloniais.

Atualmente, se dedica ao Projeto “Relato á sangue”, sob a temática estupro. A poesia e fotografia intitulada Amar(cura) faz parte de uma antologia intitulada: “Quem dera o sangue fosse só o da menstruação” da Editora Urutau que fala sobre liberdades, lutas e direitos da mulher.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O quê: “Sexualidade feminina para além da normatividade é tema do próximo Entre Telas Artes Visuais”
Quando: 17 de agosto (segunda-feira), a partir das 10h15
Onde acessar: Perfil no Instagram do Porto Iracema

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Rafaela Leite
Publicado em 11/08/2020