Reflexões sobre o belo no fazer imagético será tema do próximo “Entre Telas Fotopoéticas” com Anie Barreto

Esta será a 6ª edição do “Conversas Fotopoéticas”, que agora integra o “Entre Telas – Coexistindo em Casa”

O que é ou não belo? Quais as possibilidades para criação imagética e como contar narrativas do comum através da fotografia? Essas e outras questões permeiam o trabalho da fotógrafa Anie Barreto. A artista estará ao vivo no Instagram do Porto Iracema das Artes, no dia 11 de junho, para um bate-papo “Entre Telas”. Na live, que terá início às 16h, Anie falará um pouco sobre sua trajetória, perspectivas, além de apresentar seu fotolivro digital “Com o que pode a gente tenta”.

O trabalho foi um dos selecionados “Edital Cultura Dendicasa: Arte de Casa para o Mundo”, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult). Ao longo de 64 páginas, a artista nos apresenta um apanhado e mistura de produções de 2014 até os dias atuais, compostas de fotografias, textos e desenhos. O bate-papo será mediado pela coordenadora do Programa de Fotopoéticas, Iana Soares.

Esta será a 6ª edição do projeto de Fotopoéticas, que vem trazendo artistas, pesquisadores e curadores da fotografia, em conexão com outras linguagens, para discutir suas produções em tempos de pandemia. A ação agora integra o “Entre Telas – Coexistindo em Casa”, lançado pela Escola a fim de promover debates virtuais sobre o processo criativo dos artistas de diferentes linguagens e em seus diferentes contextos, especialmente durante o isolamento social.

Sobre o trabalho

“Com o que pode a gente tenta” é um fotolivro digital que envolve linguagens múltiplas. Composto por fotografias, textos e desenhos produzidos por Anie Barreto, o fotolivro digital tem como objetivo destacar que a feitura da imagem é completa pelo desejo. Desesquecer o sentimento do fazer, basta. Uma busca de entender a própria dureza e gentileza pelas imagens que compõe narrativas sobre si mesma. As imagens são um apanhado e mistura de produções de 2014 até os dias atuais. Conjunto de sentimentos, pedaços e experiências; o objeto produzido tem a função de relacionar vontades, desejos – nem sempre explícitos – sobre como enxergar o belo em narrativas corriqueiras, e a possibilidade de criar uma própria dentro do entendimento único e particular do que é belo ou não. O “com o que pode a gente tenta” demonstra que, mesmo com todas as intempéries de terrenos danificados ou secos, há possibilidade de criação e de entrega. O fotolivro digital possui 64 páginas que mesclam métodos do fazer imagético: desenhos, pinturas, textos e fotografias.

Mais informações AQUI

Sobre Anie Barreto

Mescla a linha, a palavra e a imagem na busca do entendimento sobre a própria língua. Tem se dedicado a investigação sobre as diferentes linguagens fotográficas e as possibilidades híbridas na feitura da imagem. Revista e remonta memórias-registros na vontade de transmutar a fragilidade de um corpo, para se fazer forte; existente. Recria histórias sobre um passado-presente na busca de se fazer – desesquecida -, abrindo feridas sobre territórios demarcados nas terras de suas memórias afetivas e de vidas passadas. Seus trabalhos e linha de pesquisa dá destaque às próprias vivências como ser atuante, que vive e sente territórios. Atualmente tem catado rastros de vivências anteriores para entender as de agora, com o propósito de se fazer crer que há meios de auto cura e reverberação de afetos para uma existência pautada na dignidade.

Sobre Iana Soares

Iana Soares é jornalista e fotógrafa. Tem Mestrado em Criação Artística Contemporânea pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Barcelona e Especialização em Escrita Literária pelo Centro Universitário Farias Brito. Entre 2009 e 2018, trabalhou no Grupo de Comunicação O POVO, onde foi editora do Núcleo de Imagem e articulista. Fez parte da equipe de criação e coordenação do Fotofestival SOLAR. Atualmente, coordena o Programa de Fotopoéticas da Escola Porto Iracema das Artes.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O quê: Reflexões sobre o belo no fazer imagético será tema do próximo Entre Telas Fotopoéticas com Anie Barreto  
Quando: Quinta feira (11/06), a partir das 16h
Onde acessar: Perfil oficial do Porto Iracema das Artes no Instagram

Fique em casa, por você e pelos outros!

Para saber todas as informações sobre o novo Coronavírus, acesse https://coronavirus.ceara.gov.br/ ou ligue 24h no 0800 275 1475.

 

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Rafaela Leite

Publicado em 01/06/2020