Projetos desenvolvidos no Porto Iracema na programação da Maloca Dragão 2017

Entre os dias 25 e 30 deste mês, o Instituto Dragão do Mar realiza a 4ª edição do Festival Maloca Dragão 2017. O maior evento de artes integradas do Estado, o festival celebra o aniversário do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura que, no dia 28 de abril deste ano, completa 18 anos, numa das mais consolidadas experiências de democratização do acesso à arte e à cultura do país. Além de marcar os anos de história de um dos maiores centros culturais do Brasil – são 1,8 milhão de visitantes ao ano –, o festival chega à quarta edição com mais de 130 atrações cearenses, nacionais e internacionais em uma semana de celebração e reafirmação da força cultural e artística do Ceará.

Neste ano, a Maloca Dragão ocupa 24 espaços do Centro Dragão do Mar e Praia de Iracema com uma programação diversificada no campo das artes que inclui shows musicais, espetáculos de teatro, dança e circo, apresentações da cultura popular e literatura, intervenções de arte urbana, mostra de cinema, exposições, além de feiras de moda, design e gastronomia. Ponto alto dos esforços de uma inédita política pública de cultura do Governo do Estado do Ceará, o Festival Maloca Dragão 2017 oferece à população uma programação totalmente gratuita e que contempla as mais variadas linguagens, constituindo um panorama rico e diverso da produção artística do Estado e também das experimentações de vanguarda da produção nacional.

    PORTO IRACEMA NA MALOCA

O Porto Iracema das Artes, a escola de artes do Centro Dragão do Mar, participa da programação do Maloca Dragão 2017 com doze projetos artísticos, desenvolvidos no âmbitos dos Laboratórios de Criação da escola, no ano de 2016. Artistas como a cantora Nayra Costa, a banda Rivera, o rapper Erivan Produtos do Morro e grupo Tocata, mostraram seus trabalhos autorais desenvolvidos no Laboratório de Música 2016.

Além das apresentações musicais, artistas das artes cênicas que também tiveram passagem pelo Porto Iracema apresentam seus espetáculos no Maloca Dragão, como o Grupo Comedores de Abacaxi com a peça “Restos de si cavam janelas”, o Grupo Motim com o espetáculo “O imaginário Criador” e o Grupo Terceiro Corpo com “Asja Lacis já não me escreve”, todos grupos que desenvolveram pesquisa teatral a paritr do laboratório de Teatro da escola. A dança está representada pela bailarina Silvia Moura com o solo “A dança nossa de cada dia”, assim como o espetáculo “Ibirapema” da Companhia OMI, ambos desenvolvidos no Laboratório de Dança do Porto Iracema.