Porto Iracema das Artes recebe masterclasses, feira e discotecagem da sexta edição do Festival Concreto

Festival Concreto 2018. Foto: Joyce S. Vidal.

Os artistas Jaz (Argentina) e Speto (SP) vão ministrar aulas abertas na Escola. Neste ano, evento traz destaques de programação infantil, mobiliário urbano e homenagem à grafiteira cearense Téia

Em sua sexta edição, o Festival Concreto – Festival Internacional de Arte Urbana volta a estabelecer uma forte parceria com a Escola Porto Iracema das Artes. O evento, que acontece de 1 a 9 de novembro, reunirá mais de 60 artistas para celebrar a arte urbana em toda a sua diversidade e conexão com outras linguagens. Dentro da programação, o Porto Iracema recebe master classes, feira, exposição coletiva e pintura de murais, com acesso gratuito – assim como todo o festival.

No dia 4 de novembro, segunda-feira, quem aterrissa no Porto é o muralista e escultor argentino Franco Fasoli, a.k.a Jaz, que faz sua primeira visita ao Ceará. Destaque da programação, ele vai ministrar uma masterclass na Escola, às 19h. Ao longo da carreira, Jaz manteve um trabalho em constante evolução. Entre os aspectos mais relevantes de sua produção recente está a exploração de diferentes escalas e materiais– de pinturas em grande formato nos espaços públicos até pequenos projetos em bronze ou papel.

No dia 7, quinta-feira, a partir das 20h, a Escola recebe uma feira e exposição coletiva, na qual os artistas convidados disponibilizam suas obras para venda ou apreciação. É o momento de conhecer melhor a produção desses realizadores e trocar contatos – oportunidade que beneficia tanto o público quanto o circuito de artistas na cidade. Para animar os encontros, a noite vai ter discotecagem coletiva.

 

Festival Concreto 2018. Foto de Alan Sousa.

Na mesma data, a partir das 19h, também acontece no Porto a roda de conversa “Diversidade no Graffiiti”, com a participação do coletivo Bixaskipixa e Golden Girls, crew da qual fazem parte Priscila Witch (PB), Naara (PE) e Lud Nascy (PI). A proposta do encontro é discutir questões relacionadas à diversidade – sexual, de gênero, de raça – dentro da prática do graffiti, tendo em vista a força dessa linguagem artística na luta pela liberdade de expressão e pela igualdade de direitos. 

E no dia 8, às 19h, a masterclass é do paulista Speto, outro grande destaque do Concreto #6, considerado um dos principais nomes da arte de rua do País. Ao lado de Binho, Vitché e Os Gêmeos, Speto faz parte da primeira geração de grafiteiros do Brasil, que surgiu após o fim da ditadura militar, quando a cultura hip-hop, vinda dos subúrbios de Nova York, invadiu São Paulo. Inspirado na tradição folclórica da literatura de cordel nordestina e na xilogravura, Speto desenvolveu um estilo próprio, que imprime uma expressão genuinamente brasileira em seus trabalhos.

Ao longo da semana o Porto recebe ainda os artistas Fefe Talavera (SP), Franklin Stein (CE) e a dupla Bicicleta sem Freio (GO), formada por Douglas de Castro e Renato Reno (GO). Os quatro vão realizar grandes murais nas paredes da Escola, que desde a primeira edição do Concreto cede espaços para a criação de artes dentro da programação.

Reconhecimento

Destaque ainda para a homenagem à cearense Téia, falecidaem 4 de novembro de 2015 e eternizada na história da arte urbana cearense como uma das grafiteiras pioneiras de Fortaleza. Com seu estilo Newschool e seus desenhos nos muros do Benfica, Parangaba e Praia de Iracema, Téia inspirou muitas meninas na arte urbana. Em2019, a data de 04 de novembro deve ser oficializada por lei como o Dia Municipal do Grafite, reconhecendo-o como manifestação artística e regulamentando suaprodução em espaços públicos e privados. Uma conquista importante para a arte urbana local e reconhecimento merecido a Téia. O projetode lei foi votado na Câmara e aguarda sanção governamental.

Serviço:
Concreto – Festival Internacional de Arte Urbana (6a edição)
01 a 09 denovembro em Fortaleza/CE
www.festivalconcreto.com.br
Facebook:Festival Concreto
Instagram:@festivalconcreto