Audições para Laboratório de Música mostram abrangência de estilos da cena cearense

Em meio aos mais de 90 projetos inscritos, foram escolhidos 13, que vão da ópera ao pop, passando pela música instrumental, eletrônica e MPB. O evento será nos próximos dias 16 e 17, no anfiteatro do Dragão do Mar, e é aberto ao público

 

Após mais de um mês avaliando 93 projetos, a comissão julgadora chegou aos 13 escolhidos para a última fase da seleção do Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes. E a terceira etapa, que consiste em apresentações públicas dos grupos, acontecerá nos dias 16 e 17 de maio, a partir das 19h, no teatro do Porto Dragão, com entrada gratuita, limitada à lotação do espaço. A retirada dos ingressos começará uma hora antes da audição.

Sete grupos de artistas tocarão duas músicas na primeira quarta-feira (16) e seis se apresentarão na quinta-feira (17). A partir da audição, a comissão julgadora, formada pela cantora, compositora, pianista e arranjadora Delia Fischer, a jornalista, publisher e DJ Cláudia Assef, e pelo músico, compositor e produtor Domenico Lancelotti, selecionará quatro projetos para serem desenvolvidos no Lab Música 2018.

Foram selecionados 13 projetos. São eles: À Beira do Terceiro (Idson Miranda Monteiro), Arquelano: Ainda Sou Um Ponto (Benjamin Arquelano Nascimento Santos), Caboco Eletrônico (Francisco Ferreira de Freitas Filho), Cenas de Óperas (Antonio Carlos de Souza Junior), Doces Náufragos (Ilya Borges dos Reis e Cavalcante), Experimental Brasil Instrumental (Alan Kardec de Almeida Filho), Fabricando a Vida (Olga Costa Campos de Souza), Horizonte Aparente (Ayrton Cézar Brandão Pessoa), Lelis, No Mó Aperreio do Mundo (Fernando Mário Paula de Aguiar Lélis), Matutando (Mateus Rodrigues Miranda), Nos Trilhos (Natanael Pereira Teixeira), Som Da Terra (Pedro Victor da Silva Barbosa) e Vacilant (Yuri Cavalcante Costa).

Diversidade da cena cearense

Os selecionados para a final do processo seletivo trazem uma mostra representativa da abrangência de estilos que fazem a cena musical cearense. A lista contempla gêneros diversos que vão desde a ópera – pela primeira vez entre as seis de edições do Lab. Música – à música eletrônica, MPB, instrumental e pop.

Três propostas artísticas também trazem o som do interior do Estado. O projeto À Beira do Terceiro, de Idson Ricarte, vem de Quixadá, já o Fabricando a Vida, com o grupo Os Bardos, é de Sobral, e de Juazeiro do Norte sai o projeto Caboco Eletrônico, de Di Freittas. Além disso, a seleção inclui artistas experientes, como Di Freitas, a incursões pela música mais recentes, caso do projeto Vacilant, com dois anos.

Nível surpreendente dos trabalhos

Delia Fisher, Cláudia Assef e Domenico Lancelotti, que formam a comissão avaliadora, consideraram o nível dos trabalhos muito bons e surpreendentes. Tanto que, diferentemente dos anos anteriores, quando foram selecionados 12 projetos para a final, este ano foram escolhidos 13. Entre os critérios, que tiveram peso de até 20 pontos, a qualidade conceitual de cada projeto apresentado, a partir da singularidade; coerência e relevância da proposta; articulação e clareza das ideias; viabilidade de realização; e currículo dos integrantes.

Nesta terceira etapa da seleção, a avaliação dos projetos de Música será feita por meio de entrevista pela comissão com os proponentes e integrantes dos grupos, seguida das audições, momento em que cada projeto terá a oportunidade de apresentar seu trabalho também para o público.

Ordem das apresentações

  • Dia 16 | Quarta-feira, a partir das 19h

À Beira do Terceiro – Idson Miranda Monteiro

Som Da Terra – Pedro Victor da Silva Barbosa

Matutando – Mateus Rodrigues Miranda

Doces Náufragos – Ilya Borges dos Reis e Cavalcante

Experimental Brasil Instrumental – Alan Kardec de Almeida Filho

Arquelano: Ainda Sou Ponto – Benjamin Arquelano Nascimento Santos

Horizonte Aparente – Ayrton Cézar Brandão Pessoa

  • Dia 17 | Quinta-feira, a partir das 19h

Caboco Eletrônico – Francisco Ferreira de Freitas Filho (Di Freitas)

Lelis, No Mó Aperreio do Mundo – Fernando Mário Paula de Aguiar Lélis

Vacilant – Yuri Cavalcante Costa

Fabricando a Vida – Olga Costa Campos de Souza

Nos Trilhos – Natanael Pereira Teixeira

Cenas de Óperas – Antonio Carlos de Souza Junior

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é uma escola de criação e formação em artes do Governo do Estado do Ceará/ Secretaria da Cultura, sob a gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de cursos básicos e técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O quê: “Audições para Laboratório de Música mostram abrangência de estilos da cena cearense”

Quando: Dias 16 e 17 de maio, a partir das 19h

Onde: Teatro do Porto Dragão (antigo Sesc Iracema, na R. Boris, 90 – Praia de Iracema)

GRATUITO​​​​

 

 

 

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes

Publicado em 09/05/2018