Plataforma de mapeamento e difusão de artistas negros será tema do próximo “Entre Telas – Fotopoéticas”

O debate contará com a presença do jornalista e pesquisador de arte afro-brasileira Deri Andrade, idealizador do Projeto Afro

Construído com o objetivo de ampliar e visibilizar a produção artística de autoria negra no Brasil, o “Projeto Afro” apresenta a arte como um importante campo de disputa na luta antirracista. A plataforma online será tema do próximo “Entre Telas – Fotopoéticas”, que trará o jornalista e pesquisador de arte afro-brasileira Deri Andrade, idealizador do projeto, para falar sobre a iniciativa e as questões que a norteiam. A live será realizada na próxima quinta-feira (9), a partir das 16h, no Instagram da Escola.

Fruto de uma pesquisa de mais de três anos, que segue em curso, o site convida cada visitante a navegar por diferentes aspectos dessa produção, com mapa interativo, perfis de artistas, artigos colaborativos e entrevistas, escritos acadêmicos e sugestões de eventos. Na live, Deri também refletirá sobre o protagonismo negro para além dos limites territoriais, discutindo os processos históricos hegemônicos que validaram o sistema artístico brasileiro.

Esta será a sétima edição do “Entre Telas – Fotopoéticas”, que vem trazendo artistas e pesquisadores que estão pensando a fotografia a partir desse momento de isolamento necessário que estamos vivendo. Os bate-papos são mediados pela coordenadora do Programa de Fotopoéticas, Iana Soares.

Sobre o projeto

É uma plataforma afro-brasileira de mapeamento e difusão de artistas negros/as/es. O projeto deseja ampliar e visibilizar a produção artística de autoria negra no Brasil, apresentando sua multiplicidade, seus inter-relacionamentos e sua abrangência. Um espaço de descoberta e ressignificação. A iniciativa se entende como um manifesto em defesa da igualdade racial, quando observados os dados sociais que ainda mostram o negro à margem do processo social. O Projeto Afro expressa o protagonismo negro para além dos limites territoriais, refletindo sobre os processos históricos hegemônicos que validaram o sistema de arte no país. Propomos um novo olhar para as narrativas a partir da colaboração e da troca.

Acesse o site AQUI.

Sobre Deri Andrade

Alagoano radicado em São Paulo, é jornalista (Centro Universitário Tiradentes – Unit), com especialização em Cultura, Educação e Relações Étnico-raciais pelo CELACC – Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação (USP), onde aprofundou suas pesquisas sobre arte afro-brasileira, investigando a correlação entre conteúdo e forma presente nas poéticas de artistas negros/as/es. É aluno especial de mestrado no Programa de Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte, na disciplina História da Arte Contemporânea. Desenvolveu a plataforma Projeto Afro, resultado de um mapeamento de artistas negros/as/es em âmbito nacional, por entender que a arte é um importante campo de disputa e também instrumento catalisador na luta antirracista. Tem passagens por instituições culturais, entre elas o Museu de Arte Moderna de São Paulo (atualmente), a Unibes Cultural e o Instituto Brincante.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O que: “Plataforma de mapeamento e difusão de artistas negros, “Projeto Afro”, será discutida no próximoEntre Telas – Fotopoéticas”

Quando: Quinta-feira (9), a partir das 16h

Onde acessar: Perfil do Porto Iracema das Artes no Instagram 

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Rafaela Leite

Publicado em 02/07/2020