Orquestra Transversal apresenta processo criativo no Rotas de Criação 2019

A prévia do projeto Peripécias Transversais acontece no dia 15/10, às 19h, com a presença da tutora Léa Freire

Na segunda semana de Rotas de Criação, o Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes, apresenta o processo de trabalho do projeto Peripécias Transversais, da Orquestra Transversal. A mostra acontece no dia 15 de outubro, às 19h, na Sala de Música do Porto Iracema das Artes. O acesso é gratuito e aberto ao público, com disponibilidade de 30 lugares por ordem de chegada. O evento contará com a presença da tutora Léa Freire.

A Orquestra nasceu no curso de da UECE e reúne os instrumentistas Adeilson Freitas, Ailton Santana, Heriberto Porto, Marcílio Holanda, Matheus Albano, Manuel Barbosa, Raquel Lopes, Samuel Pereira, Sara Rebeca, William Madeiro, Willian Robson e Yan Guedes. O grupo pesquisa repertório a partir de obras de compositores cearenses contemporâneos, de Ednardo a Liduino Pitombeira. Também incluiu composições da própria Léa Freire, como “Fé”. O Rotas de Criação é o momento de apresentação e avaliação dos percursos formativos dos Laboratórios de Criação do Porto Iracema das Artes.

Sobre Léa Freire

Uma das mais respeitadas instrumentistas brasileiras e compositora versátil, Léa Freire cresceu cercada pela música e ouvia desde cedo eruditos brasileiros como Camargo Guarnieri, Radamés Gnattali e Villa-Lobos em seus estudos de piano, ao lado de Bach, Debussy e outros compositores estrangeiros. Depois adotou a flauta como instrumento. Cantou 15 anos em coral, ao mesmo tempo em que se interessava pelo jazz, que a levou para a bossa nova, que a chamou para o choro e que lhe mostrou o caminho para os inúmeros ritmos brasileiros.

Tornou-se flautista improvisadora e celebrada compositora – suas parcerias com Joyce Moreno foram lançadas no Brasil, Japão, Alemanha e Inglaterra. Lançou o primeiro disco, Ninhal, em 1997, quando também inaugurou a gravadora Maritaca, então vários outros discos vieram na sequência, entre eles, Cartas Brasileiras (2007), que tornou-se panorama da música instrumental paulista contemporânea, envolvendo mais de 60 músicos em diversas formações.

Há 22 anos mantém a gravadora Maritaca dedicada a promover o rico cenário instrumental brasileiro, com cerca de 60 álbuns lançados no catálogo. Seu mais recente trabalho como música é o disco “A Mil Tons”, lançado em parceria com Amilton Godoy, com composições do celebrado pianista executadas em duo com a flautista. Além de Amilton, Léa tem parcerias com Arismar do Espírito, Filó Machado e com músicos estrangeiros como Harvey Wainapel e Jane Lenoir.

Sobre a Orquestra Transversal

Uma formação rara, em que a sonoridade da flauta conduz a novos arranjos para repertório clássico e de linhas contemporâneas, incentivando e acolhendo a produção de compositores locais. Eis a busca da Orquestra Transversal, formada no na UECE, pelos instrumentistas Adeilson Freitas, Ailton Santana, Heriberto Porto, Marcílio Holanda, Matheus Albano, Manuel Barbosa, Raquel Lopes, Samuel Pereira, Sara Rebeca, William Madeiro, Willian Robson e Yan Guedes. A aproximação com Léa Freire também trouxe ao grupo a produção de repertório autoral feminino, incluindo obras da própria tutora, como “Fé”.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

SERVIÇO

“Orquestra Transversal apresenta processo criativo no Rotas de Criação 2019”

Onde: Sala de Música do Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, nº 160 – Praia de Iracema)

Quando: 15 de outubro, às 19hrs

Aberto ao público

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Rafaela Leite
Publicado em 08/10/2019