“Notas para encenar no agora” é tema do Amarrações Estéticas de dezembro

A atividade contará com as presenças das encenadoras Onisajé e Eliane Monteiro, com mediação de Fran Teixeira

Na próxima sexta-feira, dia 06 de dezembro, a Escola Porto Iracema das Artes realiza mais um Amarrações Estéticas, evento que reúne artistas com diferentes trajetórias para partilhar experiências em torno de um tema específico. Nesta edição, o debate será entre as encenadoras Onisajé, do Grupo Nata, da Bahia, e Eliane Monteiro, do Grupo Teatro da Vertigem, de São Paulo, e contará com mediação da também encenadora Fran Texeira, do grupo cearense Teatro Máquina.

O encontro será realizado no Teatro B. de Paiva (Porto Dragão), a partir das 19h, e terá como mote “Notas para encenar no agora” e é um convite, também ao público, para pensar o teatro em tempos de crise. O evento gratuito também promove conexões entre os processos criativos desenvolvidos no Laboratório de Teatro. Onisajé é tutora do projeto “Negritude Feminina na Tribo Kariri”, do grupo Iamis Kariri (Crato), e Eliane Monteiro é tutora do projeto “Mapa do Flaneur: rotas vagabundas da cidade”, do Coletivo Toca da Matraca (Sobral).

Sobre as debatedoras


Eliana Monteiro é mestranda em artes cênicas na ECA – USP. Formada em artes cênicas pela Universidade São Judas, em interpretação pela Escola Superior de Teatro Célia Helena, e em direção pela Escola Livre de Santo André. Diretora no grupo Teatro da Vertigem. Coordenou o núcleo de encenação do Programa Vocacional da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, e atualmente, desde 2013, coordena o Projeto Espetáculo das Fábricas de Cultura do Estado de São Paulo. É formadora convidada do curso de Direção Teatral da SP Escola de Teatro. Integrou a 26ªComissão julgadora de Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo, curadoras da Mostra de Teatro do Maranhão. Dirigiu a peça Enquanto Ela Dormia. Curadora das atividades pedagógicas da MIT – 2018/2019. Curadora das atividades pedagógicas do FIT – 2019. Participou como artista convidada no III Seminário Internacional de Artes Escénicas: El cuerpo y el espacio (PUC-Peru).

ONISAJÉ (Fernanda Júlia) é Yakekerê (mãe pequena, segunda sacerdotisa do terreiro) no Ilê Axé Oyá L´adê Inan, da cidade de Alagoinhas, graduada no Bacharelado em Direção Teatral da Escola de Teatro da UFBA, mestre em Artes Cênicas pelo Programa de Pós graduação em Artes Cênicas – PPGAC – UFBA, com a dissertação Ancestralidade em cena: Candomblé e Teatro na formação de uma encenadora,atualmente é doutoranda no mesmo programa. Diretora fundadora do Núcleo Afro brasileiro de Teatro de Alagoinhas – NATA, fundado em 17 de outubro de 1998 na cidade de Alagoinhas BA. Dramaturga, preparadora de atores, educadora e pesquisadora da cultura africana no Brasil com ênfase nas religiões de matriz africana o Candomblé.

Sobre as Amarrações Estéticas
No vocabulário do mar, “amarração” é o ato de consolidar a atracação das navegações no cais dos portos e dar firmeza aos nós da rede de pescar. Assim, o Amarrações Estéticas coloca-se na perspectiva de consolidar os atos criativos, através de amarrações construídas a partir de diálogos entre os projetos dos Laboratórios de Criação.

Sobre a Escola
O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

SERVIÇO
O quê: “Notas para encenar no agora” é tema do Amarrações Estéticas de dezembro
Quando: Dia 6 de dezembro, sexta-feira, às 19h
Onde: Teatro B. de Paiva – Porto Dragão (Rua Boris, 90, Praia de Iracema)
GRATUITO

Assessoria de Comunicação | Porto Iracema das Artes
Publicado em 27/11/2019