Laboratório de Cinema

Alocado no Centro de Narrativas Audiovisuais do Porto Iracema das Artes (CENA 15), o Laboratório de Cinema tem como proposta desenvolver roteiros para filmes de longa-metragem, do gênero de ficção ou híbrido, através de um programa de formação que abarca tutorias, assessorias, oficinas e aulas abertas com foco em aspectos da escrita cinematográfica.

Durante sete meses, são trabalhadas questões voltadas à estrutura dramática dos projetos, à criação de personagens, à formatação dos roteiros e aos processos criativos da escrita de histórias. Além de ampliar as habilidades técnicas e narrativas dos participantes e do público mais amplo engajado pelas oficinas e aulas abertas, o Laboratório visa também contribuir para a atuação profissional de roteiristas no mercado audiovisual.

Nas duas primeiras edições (2013 e 2014), o Lab selecionou 5 projetos por ano, tendo passado, a partir de 2015, a selecionar 6 projetos dentro de uma lógica pan nordestina: 4 do Ceará, com uma dupla de roteiristas por projeto, e 2 de estados do Nordeste do Brasil, com um único roteirista. Até o ano de 2018, 28 roteiros foram desenvolvidos e 6 se encontram em desenvolvimento, com o apoio de uma ajuda de custo mensal para cada roteirista.

Até a edição de 2017, os projetos participantes do laboratório foram orientados pelos cineastas Karim Aïnouz, Marcelo Gomes e Sérgio Machado, com a assessoria semanal do roteirista Pablo Arellano. Em 2018, a cineasta Nina Kopko passou a integrar o time de tutores, junto com Karim e Sérgio.

De 2013 a 2017, cerca de 60% das histórias desenvolvidas no lab já circularam ou venceram festivais e editais públicos de financiamento da produção audiovisual nos mais diversos lugares do Brasil e do mundo.

A equipe do lab é formada ainda pela coordenadora Lis Paim, pelo produtor Marcos Ferreira, e pela consultora de roteiros trainee Luciana Vieira, responsável, no momento, pela condução do Cinedrama - um grupo de estudos de roteiros semanal e aberto ao público da cidade.

Equipe Lab Cinema

KARIM AÏNOUZ (tutor de projetos)

Natural de Fortaleza e radicado em Berlim, é diretor de cinema e artista visual. Realizou, em 2015, o documentário Velázquez ou o Realismo Selvagem, que estreou no Grand Palais em Paris e foi exibido no canal francês ARTE. Em 2014, seu longa-metragem Praia do Futuro estreou mundialmente na Competição Oficial do 64° Festival de Berlim junto de Cathedrals of Culture, filme em 3D produzido por Wim Wenders, que estreou na sessão Panorama do Festival de Berlim (Berlinale). Seu primeiro longa-metragem, Madame Satã, estreou na mostra Un Certain Regard do Festival de Cinema de Cannes em 2002. Seus longas seguintes, O Céu de Suely e Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo (co-dirigido com Marcelo Gomes) estrearam no Festival de Veneza na Mostra Orizzonti em 2006 e 2009, respectivamente. Em 2008, dirigiu a série de 13 episódios Alice para a HBO Latin America. Em 2011, O Abismo Prateado teve sua estreia mundial em Cannes na Quinzena dos Realizadores e recebeu o prêmio de Melhor Diretor no Festival do Rio. Aïnouz é ainda co-roteirista dos filmes Abril Despedaçado, de Walter Salles, Cinema, Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes, e Cidade Baixa, de Sérgio Machado. Em 2018, seu mais recente documentário, Aeroporto Central THF, teve sua estreia mundial na Mostra Panorama do 68° Festival Internacional de Cinema de Berlim, onde recebeu o Prêmio Anistia Internacional. Em 2018, dirigiu a livre adaptação do livro A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Martha Batalha, para os cinemas, com produção de Rodrigo Teixeira, da RT Features. A Vida Invisível traz as atrizes Carol Duarte e Júlia Stockler como protagonistas da história, além da participação da atriz Fernanda Montenegro.

NINA KOPKO (tutora de projetos)

Natural do Paraná e radicada em São Paulo, é formada em Cinema pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua nas áreas de direção, preparação de elenco, roteiro e montagem. Entre suas principais realizações, destacam-se: a direção assistente do longa-metragem A Vida Invisível (dir. Karim Aïnouz, 2019) e de O Silêncio do Céu (Marco Dutra, 2016); a preparação de elenco do filme Dentes (Pedro Arante e Júlio Taubkin, 2019); a montagem do documentário Operações de Garantia da Lei e da Ordem (Julia Murat e Miguel Ramos, 2017) e de Nós (Pedro Arantes, 2018); a assistência de direção e colaboração do roteiro de Guigo Offline (René Guerra, 2017) e a assistência de direção e pesquisa da série HQ - Edição Especial (Angelo Defanti, HBO, 2016). Foi também supervisora de desenvolvimento de projetos da produtora RT Features entre 2014 e 2015. No momento é tutora do Laboratório de Cinema da Escola Porto Iracema das Artes e trabalha no desenvolvimento de seus projetos pessoais de direção.

SÉRGIO MACHADO (tutor de projetos)

Natural de Salvador e radicado em São Paulo, seus primeiros trabalhos no cinema foram como assistente de direção nos filmes Central do Brasil (1998), O Primeiro Dia (1999) e Abril Despedaçado (2001), todos sob direção de Walter Salles. Foi co-roteirista do longa-metragem Madame Satã (2002), de Karim Aïnouz, e roteirista da série televisiva Os Pastores da Noite (2002), da Rede Globo de Televisão. Cidade Baixa (2005), seu primeiro longa de ficção, foi vencedor de 30 prêmios no Brasil e exterior, entre eles: o Prêmio da Juventude no Festival de Cannes e os prêmios principais dos Festivais do Rio de Janeiro, de Huelva, Verona e Mons. Dirigiu também o longa metragem de ficção Tudo que Aprendemos Juntos (2015), vendido para mais de 25 países, e o documentário A Luta do Século (2016), ambos premiados em festivais e mostras de cinemas nacionais e internacionais. Em 2018, dirigiu (junto com Aly Muritiba) e roteirizou (junto com George Walker e Pedro Perazzo) a série televisiva Os Irmãos Freitas, sobre o ex-boxeador baiano Popó. No presente momento, está trabalhando em parceria com Walter Salles na animação A Arca de Noé, inspirada nos poemas infantis de Vinicius de Moraes e numa adaptação para as telas do conto O Adeus do Comandante, do escritor amazonense Milton Hatoum.

LIS PAIM (coordenadora)

Natural de Salvador e radicada em Fortaleza, é mestre em Artes pela Universidade Federal do Ceará (2017, financiada por bolsa Capes), com pesquisa sobre o processo criativo da montagem e as suas relações com o campo de estudo contemporâneo das ruínas urbanas e do arquivo. Possui graduação em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (2007) e formação técnica em montagem e som pelo Centro Profesional del Sindicato de la Industria Cinematográfica Argentina (CPF-Sica, Buenos Aires, 2011). A sua produção artística tem se direcionado ao estudo da poética da montagem em diferentes dispositivos, sendo o filme Maré Viva (co-direção de Alice Jardim, 2013) e o Arquivo Audiovisual Alagoinha (2012-2018) - constituído após 6 anos de filmagem e pesquisa da ruína modernista do antigo Alagoas Iate Clube, em Maceió - partes de tal investigação. Deste arquivo, resultou a exposição Montar uma Ruína: Clube Alagoinha (2018), realizada no Museu de Arte Contemporânea do Ceará e na Pinacoteca Universitária de Alagoas. Desde 2006, pesquisa e atua profissionalmente no campo expandido do Cinema, realizando filmes, exibindo-os em cineclubes e mostras, ensinando e coordenando projetos na área de gestão cultural. Atualmente, é docente do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade de Fortaleza (Unifor) e coordena o Laboratório de Cinema e o Centro de Narrativas Audiovisuais (CENA 15) da Escola Porto Iracema das Artes.

MARCOS FERREIRA (produtor)

Natural de Fortaleza, é Mestre em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Em 2016, desenvolveu, junto com o roteirista Alan Góes, seu primeiro roteiro de longa-metragem/série para TV, Mara Hope, no Laboratório de Cinema da Escola Porto Iracema das Artes, sob a tutoria de Karim Ainouz, Marcelo Gomes e Sérgio Machado. Como roteirista e diretor, desenvolveu o curta-metragem O dia em que a terra parou (5 min, experimental, 2017), selecionado na Mostra Percursos  2017. Foi curador do Cineclube Âncora e do CineGeografia, ambos em Fortaleza. Participou como roteirista de um dos episódios da série-escola para TV Artes de Proa, do Porto Iracema das Artes. Em 2018, produziu a exposição Montar uma Ruína: Clube Alagoinha, da artista Lis Paim, no Museu de Arte Contemporânea do Ceará do Instituto Dragão do Mar. Em 2016, aprovou os projetos Benfica (curta-metragem), Fortaleza nas Mãos (flipbook) e Bizu Cultural (site e aplicativo) em editais públicos da Secult-CE e Secultfor, todos em fase de desenvolvimento.  Atualmente, além de ser produtor do Laboratório de Cinema do Porto Iracema das Artes e produtor-assistente na Cinema Inflamável, foi contemplado com as chamadas públicas BRDE/FSA PRODAV TV O Povo para desenvolver um roteiro de série de animação para TV e com o XIII Edital Cinema e Vídeo da Secult na categoria de curta-metragem de ficção.

PABLO ARELLANO (assessoria de roteiros)

Natural de Madrid e radicado em Fortaleza, é graduado em Comunicação Audiovisual pela Universidade Complutense de Madri, especialista em roteiro de cinema pelo Instituto de Cinema de Madri e em Roteiro de Cinema e TV pela Escuela Internacional de Cine y Televisión de Cuba. Já trabalhou em mais de trinta produções cinematográficas entre curtas e longas-metragens, sempre nas áreas de roteiro, direção e edição. Seus trabalhos foram premiados em festivais internacionais como Cannes, San Sebastián, Munich, Biarritz e Havana. Ministra oficinas de cinema em escolas e instituições como La Piscifactoría e La Casa de Cultura em Espanha, a escola Porto Iracema das Artes e a Vila das Artes, no Brasil, e na EICTV, em Cuba. É professor de cinema do Centro de Altos Estudios Universitarios da OEI e trabalha como curador no Festival Iberoamericano Cine Ceará desde 2015. Atualmente, trabalha como roteirista e consultor de roteiro em diversos projetos audiovisuais entre Brasil, Espanha, Cuba e República Dominicana.

LUCIANA VIEIRA (consultora de roteiros trainee)

Natural de Fortaleza, é graduada no curso de Cinema e Audiovisual da UFC e atua como diretora, roteirista e produtora. É sócia-fundadora da Orla Filmes e desde 2014 é colaboradora criativa e produtora da Tardo Filmes. Entre os seus principais trabalhos estão a co-direção com Wislan Esmeraldo do telefilme de natal Guerra da Tapioca (Tv Verdes Mares / Tardo Filmes), a co-direção da série infanto-juvenil Lana e Carol (Tv Brasil / Deberton Entretenimento e Praia à Noite), a produção executiva da série Identidade (Tv Brasil / Tardo Filmes), a realização do média-metragem Porque era Ela (Pirinópolis Doc / Orla Filmes e Tardo Filmes), a co-direção do longa-metragem em episódios O Animal Sonhado (18º Mostra de Cinema de Tiradentes / Tardo Filmes) e o roteiro de longa-metragem Natan, desenvolvido no Laboratório de Cinema do Porto Iracema das Artes, e que posteriormente circulou em laboratórios nacionais como Curitiba Lab, Sesc Novas Histórias e Brasil CineMundi, onde recebeu a menção honrosa do Torino Film Lab (Itália).

Projetos

2018

2017

2016
2015
2014
2013