Laboratórios de Criação

São espaços de experimentação, pesquisa e desenvolvimento de projetos culturais em cinco linguagens: Artes Visuais, Cinema, Dança, Música e Teatro. Os Laboratórios funcionam em regime de imersão, por meio de processos formativos de excelência, desenvolvidos em torno das propostas previamente selecionadas. Os artistas recebem orientação de tutores, que conduzem a qualificação dos projetos com orientações individuais, oficinas, palestras e masterclasses pelo período de sete meses.

Durante os Laboratórios, os artistas selecionados recebem ajuda de custo para que possam se dedicar integralmente ao desenvolvimento de seus projetos.

Até 2018, 128 projetos já passaram pelos Laboratórios de Criação do Porto. Em cinco anos, foram investidos R$ 11,4 milhões e mais de 40 mil pessoas foram contempladas direta ou indiretamente em ações formativas e eventos.

 

Conheça os laboratórios:

 

Seleção

A seleção para os Laboratórios acontece, em geral, no início de cada ano. O regulamento costuma ser lançado entre os meses de janeiro e fevereiro. O processo seletivo é dividido em três etapas: a primeira é uma análise de documentos, a segunda consiste na avaliação técnica dos projetos por comissões externas à Escola e, por fim, a terceira fase se dá em forma de entrevista das comissões com os selecionados nas etapas anteriores. No caso do Laboratório de Música, é realizada ainda uma audição pública dos projetos na terceira fase.

Acesse os regulamentos da edição 2020: Lab Artes Visuais, Lab Cinema, Lab Dança, Lab Música e Lab Teatro

 

 


Coordenação

CLÁUDIA PIRES é bailarina. Licenciada em Pedagogia e Especialista em Arte-Educação. Coordena os Laboratórios de Criação da Escola Porto Iracema das Artes. Na referida escola, atuou também como coordenadora do Programa de Formação em Dança que inclui o Laboratório de Dança e o Curso Técnico em Dança. Concluiu, pelo Instituto Dragão do Mar, através do Colégio de Dança do Ceará, o curso de capacitação de Professor de Dança. Dirigiu o equipamento cultural Vila das Artes, escola de formação em artes da Prefeitura de Fortaleza, entre 2013 e 2016. Integrou o Conselho Municipal de Educação nos anos de 2013, 2014 e 2016, onde presidiu a Câmara de Ensino Fundamental. Integrou a Câmara Setorial de Dança do Ministério da Cultura nos anos de 2005 e 2006. Fundou, junto a outros artistas da dança, a Associação dos Bailarinos, Coreógrafos e Professores de Dança do Ceará (PRODANÇA), sendo presidente da entidade de 2003 a 2005. Representou a dança na Comissão de Análises de Projetos da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, onde também prestou serviços à Comissão Estadual de Incentivo à Cultura e ao Festival de Dança do Litoral Oeste. De 2003 a 2010 foi curadora e diretora artística do programa CirculaDança da Bienal Internacional de Dança do Ceará. Coordena, no Colégio 7 de Setembro, os núcleos de dança, teatro e música. De 2009 a 2012 coordenou, em 20 escolas municipais, o Programa Dançando na Escola, realizado a partir de uma parceria entre Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza, através da Vila das Artes, e Secretaria Municipal de Educação.