Laboratório de Cinema do Porto Iracema realiza a 6ª edição do pitching de roteiros e premia melhores roteiristas

Projeto MARINA. Roteirista: Laís Araújo

A apresentação pública dos roteiros contará com a presença dos tutores do Laboratório, além de um júri integrado por grandes profissionais do Cinema brasileiro, como a atriz e produtora Alice Braga

Construir e narrar histórias. Estes são os pontos-chave do Laboratório de Cinema da escola Porto Iracema das Artes, que em 2018 chega à 6ª edição reafirmando a proposta de desenvolver roteiros para filmes de longa-metragem, de ficção ou híbridos. O resultado desse percurso poderá ser conferido na Mostra de Artes do Porto Iracema (MOPI) do Laboratório de Cinema, com a apresentação pública dos roteiros, o pitching. O evento acontecerá no próximo dia 15 de dezembro, às 9h, no Cinema do Dragão, com acesso gratuito e aberto a todos os interessados.

A grande novidade desta edição do pitching é o Prêmio Instituto Olga Rabinovich, uma nova instituição filantrópica no Brasil que tem como uma de suas missões fortalecer e fomentar a excelência do audiovisual brasileiro. O júri especial formado pelos cineastas e roteiristas Camila Agustini, Karim Aïnouz, Murilo Hauser e Sérgio Machado, selecionou um roteiro vencedor do Lab Cinema/Cena de 2018 e este resultado será divulgado no final do pitching. O projeto escolhido receberá um apoio mensal de R$ 5 mil, durante seis meses, para se dedicar ao desenvolvimento e aprimoramento do seu projeto, além de participar de mentorias com profissionais de referência, junto com outros 3 projetos selecionados em outros importantes laboratórios do Brasil.

Sob o crivo de um júri formado por grandes nomes do cinema e do audiovisual brasileiro, durante o pitching, cada projeto deverá ser apresentado em até trinta minutos, sendo 15 minutos para a exposição e 15 para responder às perguntas dos avaliadores e do público. Esse é o momento em que os roteiristas devem apresentar os seus projetos de uma forma mais criativa, podendo contar com o auxílio de vídeos, performances de atores ou realizar leituras dramáticas dos textos.

Para a diretora da Escola, Bete Jaguaribe, “a experiência do Laboratório de Cinema do Porto Iracema consolidou-se como a grande referência nacional de formação de roteiristas. Resultado de um trabalho coletivo de uma equipe de profissionais profundamente comprometida com o cinema, em todas as suas dimensões: estética, ética, criativa, política. Temos um grupo de artistas (Karim Ainouz, Sérgio Machado, Marcelo Gomes, Nina Kopko, Lis Paim) que respiram cinema. Assim, constroem um diálogo radical com a experiência cultural contemporânea, garantindo processos de criação de alta qualidade. Grande parte dos roteiros desenvolvidos já estão em processos de realização, o que por si só já indica a consolidação do projeto”.

PRÊMIOS DO PITCHING
Serão conferidos três prêmios aos projetos desta 6ª edição do Lab Cinema. O primeiro é o Prêmio do Instituto Olga Rabinovich, que com a bolsa, tem o objetivo de apoiar a formação e a capacitação profissional de roteiristas durante a fase de desenvolvimento de suas histórias. O Instituto fez parceria com algumas das mais importantes iniciativas do audiovisual brasileiro, responsáveis pela seleção dos ganhadores, para conceder quatro (4) bolsas a projetos de roteiro pelo Brasil. Entre as instituições parceiras em 2018 estão o CENA 15, a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, o BrLab e o Laboratório Novas Histórias Programa Sesc e Senac de Desenvolvimento de Roteiros. O programa de apoio a roteirista é a primeira iniciativa do Instituto, que será lançado formalmente no começo de 2019, quando anunciará a gama completa de projetos que pretende apoiar.

O júri especial do prêmio do Instituto Olga Rabinovich, que será concedido ao Lab Cinema, teve acesso às versões completas do primeiro tratamento dos roteiros e o resultado será divulgado ao final do pitching, pelas convidadas especiais Olga Rabinovich e Josephine Bourgois, diretora executiva do instituto, respectivamente.

O segundo e o terceiro prêmio serão divididos entre os dois melhores projetos de roteiros avaliados durante a apresentação do pitching. O prêmio Porto Iracema das Artes/ Instituto Dragão do Mar, decidido pelos sete (7) jurados convidados para o evento, levará um (1) integrante de cada um dos dois (2) projetos ganhadores para participar da 7ª edição do FRAPA – Festival de Roteiros de Porto Alegre, com passagens e hospedagem pagas.

A produtora e atriz Alice Braga estará no pitching deste ano.

Este ano, o júri do pitching é composto pela atriz e produtora Alice Braga; pela roteirista Antonia Pellegrino; pelo produtor Fred Burle, da produtora alemã One Two Films; pela diretora do Festival do Rio, Ilda Santiago; pelo sócio proprietário da Gullane Entretenimento, Fabiano Gullane; por Jerome Merle, da Fox Brasil; e pelo produtor independente Max Eluard.
Por fim, haverá também o Prêmio do Público, onde os dois melhores projetos escolhidos pelas pessoas presentes no cinema, através de uma cédula de votação, ganharão um (1) ano de entrada gratuita no Cinema do Dragão.

O segundo momento do pitching acontecerá nos corredores do Cena 15, aonde os roteiristas irão se reunir com as produtoras num formato de rodada de conversa sobre os roteiros apresentados na manhã. A reunião acontecerá dentro da exposição em homenagem aos 6 anos do Lab Cinema, que também ocupará os corredores do Cena, onde estarão expostas para a cidade todas as 34 histórias de longa-metragem produzidas de 2013 até 2018 na Escola Porto Iracema das Artes.

SOBRE O LABORATÓRIO DE CINEMA 2018
Reiterando o compromisso de desenvolver as habilidades técnicas e narrativas dos roteiristas e de firmar o Nordeste como referência nacional de novas histórias, o Laboratório de Cinema seleciona, desde a edição de 2015, seis projetos de roteiros, quatro de Fortaleza (CE) e dois de outros estados do Nordeste do País, tendo cada projeto até dois roteiristas. A proposta do laboratório tem como visão primordial contribuir para a atuação profissional de roteiristas no mercado audiovisual e, para isso, investe no lançamento da pedra inaugural de um filme: o roteiro.

Numa imersão que dura sete meses, os artistas-roteiristas trabalham questões voltadas à estrutura dramática dos projetos, à criação de personagens, à formatação dos roteiros e aos processos criativos da elaboração de narrativas. Alocada no Centro de Narrativas Audiovisuais (CENA 15) do Porto, a formação do Laboratório de Cinema foca nos elementos vitais à estruturação de um roteiro cinematográfico, sob a orientação de três grandes cineastas brasileiros que atuam como tutores: Karim Aïnouz, Nina Kopko e Sérgio Machado.

Os roteiros desta edição do laboratório são bem distintos entre si e trazem nas suas sinopses histórias com diversos gêneros, como filme de fuga tropical, comédia , horror gay, faroeste político, tragédia juvenil, epopéia nordestina, entre outros. São eles: “Campo Amor Rocha”, de Thaís Forte e Yuri Peixoto; “Diabos de Fernando”, de Caio Dornelas e Rodrigo Acioli; “Fortaleza Miami”, de Natália Lima e Pedro Palácio; “Marina ou Enquanto dançávamos”, de Laís Araújo; “Noite ao Relento”, de Natália Maia e Camila Chaves; e “O Ovo do Rei do Caranguejo”, de Mozart Freire e Abdiel Anselmo.

De 2013 a 2017, cerca de 60% das histórias desenvolvidas no laboratório já circularam ou venceram festivais e editais públicos de financiamento da produção audiovisual nos mais diversos lugares do Brasil e do mundo, configurando o laboratório como um trampolim para a criação de novos profissionais da área.

Sinopses dos roteiros do Laboratório de Cinema 2018

CAMPO AMOR ROCHA
2018, longa-metragem, epopéia nordestina, ficção
Roteiristas: Thaís Forte e Yuri Peixoto


Sem se despedir dos filhos, Ivone, uma mulher de 30 anos, parte para finalmente seguir o sonho da sua vida: virar uma grande estrela do forró. Ao descobrirem o seu sumiço pela manhã, Iago (6) e Adeline (14) culpam um ao outro pela partida mãe. E Adeline, revoltada com a responsabilidade repentina, decide então encontrá-la, para devolver a ela o seu insuportável irmão. Já Iago acredita que Tocha, seu vira-lata, está fazendo greve de fome pela tristeza da partida de Ivone, e que longe dela vai acabar morrendo. Sozinhos no mundo, os três mergulham numa jornada pelo sertão cearense em busca da mãe cantora. Em meio às constantes desavenças entre os irmãos e ao definhamento do cachorro, os perigos e os desafios da vida de duas crianças na estrada vão se tornando cada vez maiores. É quando aprendem que perder quem se ama também pode ser um encontro.

DIABOS DE FERNANDO
2018, longa-metragem, filme de fuga tropical, ficção
Roteiristas: Caio Dornelas e Rodrigo Acioli


Brasil, década de 30. Período de insurreições e Golpes de Estado. A ilha de Fernando de Noronha é uma prisão política para cerca de 60 militantes do Partido Comunista Brasileiro. Entre eles, Fausto, que vive um romance secreto com Nara, uma nativa da ilha. Faltam apenas dois meses para a sua liberdade, data em que eles planejam se casar. No entanto, a inesperada chegada de Bezerra, um importante membro do PCB, põe em risco os planos amorosos de Fausto. No continente, há uma revolta em curso e Bezerra é peça fundamental para o seu êxito. Bezerra precisa fugir da prisão e chegar ao continente, e Fausto é o único marinheiro entre os presos capaz de construir e guiar uma jangada nesta odisséia tropical. Mas ninguém jamais conseguiu fugir da ilha-prisão.

FORTALEZA MIAMI
2018, longa-metragem, comédia de costumes, ficção
Roteristas: Natália Lima e Pedro Palácio


Luciana, uma socialite recém divorciada de um figurão da cidade, sofre um golpe e perde todo o dinheiro que lhe coube no divórcio. Ao perceber a facilidade com que foi enganada, ela resolve passar o azar adiante e monta uma agência de viagens de fachada, organizando excursões para a Disney. O plano é comprar jóias com o dinheiro dos clientes e fugir para Miami, um dia antes do golpe vir à tona. Porém, ao organizar sua festa de despedida, Luciana contrata a diarista Nilza, que foge sorrateiramente com todas as jóias. A busca desesperada pela ladra leva Luciana à Antonina do Norte, sertão do Ceará, cidade onde Nilza cresceu. Procurada pela polícia, ela se vê obrigada a permanecer no local e a conviver com a avó de Nilza, a excêntrica e cheia de surpresas, Dona Conceição.

MARINA OU ENQUANTO DANÇÁVAMOS
2018, longa-metragem, tragédia juvenil, ficção
Roterista: Laís Araújo
Dezenas de corpos estão sendo assassinados em Maceió, mas Marina segue alheia a isso: está inteiramente focada nos últimos preparativos da sua festa de 15 anos. Única negra da escola, só consegue conquistar os colegas ao prometer drogas na comemoração do seu aniversário. Angustiada, Marina não faz a menor ideia de como arranjar os entorpecentes. Mas, ao reencontrar Pedro, o filho de sua costureira e ex-empregada doméstica de sua família, ela vê uma oportunidade. Ao lado de Pedro tudo é excitante, e Marina agora divide o seu tempo entre os ensaios da festa e as fugas noturnas. Marina e Pedro se apaixonam, mas descobrem um mundo segregado quando esse amor vem à tona para as famílias. Infeliz na festa que sonhou, Marina espera que Pedro apareça. Mas, longe das luzes do baile, o corpo de Pedro é encontrado.

NOITE AO RELENTO
2018, longa-metragem, faroeste político, ficção
Roteiristas: Natália Maia e Camila Chaves


Lavínia, uma jovem filha da elite de Fortaleza, é uma advogada e triatleta que vive à sombra da mãe, Rejane, uma juíza renomada. Decidida a se livrar da culpa por um erro cometido no passado, que quase lhe custou a carreira, ela se torna juíza em Nova Itaité, uma cidade do sertão do Ceará. Ali descobre um lugar fora da lei, dominado por relações coronelistas. Ela nega os insistentes pedidos de ajuda de Lino, o controverso radialista da cidade, que coleciona inimigos e diz sofrer ameaças de morte. Lino é assassinado e Lavínia se vê novamente assombrada pela culpa. Dividida entre a imparcialidade que seu cargo demanda e a busca por respostas sobre o crime, ela se envolve em um jogo de poder perigoso, pelo qual poderá pagar com a própria vida.

O OVO DO REI CARANGUEJO
2018, longa-metragem, horror gay equatorial, ficção
Roteiristas: Mozart Freire e Abdiel Anselmo


Anos 90, litoral leste do Ceará. A antiga maldição do mangue, na qual um monstro sai para caçar em época de desovas de caranguejos, volta a assombrar os habitantes do vilarejo. Ao mesmo tempo, aumenta a tensão do conflito de terra entre os catadores de caranguejo e o fazendeiro de crustáceos, o diabólico Abelardo Ferreira. Após ser punido pela igreja por ter um caso com outro sacerdote, Padre Ivanildo é transferido para a vila em meio ao embate pelo território do manguezal. Desgastado, o padre chega em busca de paz, mas ao ver o sofrimento do povo diante de uma série de mortes brutais, sente-se impelido a combater Abelardo. Seu maior problema surge, no entanto, quando ele é seduzido por Sebastião, o envolvente filho do fazendeiro. O padre se divide então entre cobrar justiça às autoridades e consumar o seu desejo. O amor proibido entre Ivanildo e Sebastião os envolve na tenebrosa maldição do lugar. E em um confronto macabro, banhado com lama e sangue, os amantes são impedidos de saciarem suas sedes.

SERVIÇO
O quê: Pitching 6ª edição – Apresentação pública dos roteiros do Laboratório de Cinema 2018
Quando: 15 de dezembro, das 9h às 14h
Onde: Cinema do Dragão (Rua Dragão do Mar, 81, Praia de Iracema)
Gratuito e aberto ao público

O quê: SUOR II – Festa de encerramento da 6ª edição dos Laboratórios de Criação do Porto Iracema das Artes
Quando: 15 de dezembro, às 22h
Onde: Casa Absurda (R. Isac Meyer, n 108 – Aldeota)

 

Comunicação Porto Iracema das Artes | Eduardo Sousa

Publicado em 10/12/2018