Laboratório de Música

O Laboratório de Música tem como objetivo desenvolver projetos musicais contemplando os aspectos da composição, execução, interpretação, arranjo, performance e produção. As propostas serão orientadas na perspectiva de criação e montagem de show com qualidades técnica e conceitual, capaz de seguir um circuito de apresentações públicas.

Coordenadora:

Mona Gadelha foto 6Mona Gadelha é cantora, compositora, jornalista e produtora cearense. Em sua carreira na música, já lançou sete CDs (Mona Gadelha, 1996; Cenas & Dramas, 2000; Tudo se Move, 2004; Salve a Beleza, 2010; Praia Lírica, um tributo à canção cearense dos anos 70, 2011; e Cidade Blues Rock nas Ruas, 2013 – este também em CD ao vivo e DVD, 2014). Formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará e pós-graduada em Globalização e Cultura pela Fundação Escola de Sociologia de São Paulo. Desenvolveu projetos envolvendo as linguagens da música e da literatura, como “Iracema – do Épico ao Pop” e “O Dom do Ciúme”. Criou seu próprio selo e produtora, a Brazilbizz.

Projetos em Desenvolvimento

//2016

Bendito Som das Quebradas

Resumo: Bendito Som das Quebradas trabalhará com samplers, beats, colagens eletrônicas e instrumentos acústicos, num processo de criação que dialogará com rock, baião, reggae, embolada, hip hop e rap. A experiência será conduzida por Erivan Barbosa Sales, o “Erivan Produtos do Morro”, que convidará músicos para performances que serão construídas a partir deste grande encontro estético. Na proposta, evidencia-se a centralidade de rimas, apropriadas do repente e do cordel, tradição cultural que o artista traz das origens sertanejas.

LAB_MUSICA_TADEU PATOLLATutor: Tadeu Patolla

Produtor e multinstrumentista com 32 anos de carreira, trabalhou com Charlie Brown Jr (com quem ganhou 7 discos de ouro e 4 de platina), Strike, Aliados, Beto Lee, Biquini Cavadão, Kiko Zambianchi, Deborah Blando, Fernanda Porto, Sideral, RPM, Rádio Táxi e Projota, entre outros. Ganhou 10 discos de ouro, 5 de platina e um “Latin Grammy” como produtor. Em seu estúdio, “Patolla Áudio”, dedica-se também a formação de novas bandas e artistas da cena independente. Começou tocando na “Telex”, já emplacando o hit “Só delírio” (1984). Fundador da banda de funk/rock “Lagoa 66”, sucesso no underground paulistano 86/96. Tocou com a “Charlie Brown Jr” na tour mundial de 2005 nos EUA, Japão e Europa, incluindo “Rock in Rio Lisboa” e abrindo shows de “Foo Fighters” e “Linkin Park”. Entre os projetos recentes, produziu a banda “Strike”, disco póstumo da CBJR, ” La Familia”, pela Som Livre, com disco de ouro; Banda Aliados em 2014, com o CD “Quinto Elemento”; e em 2015 com o CD ” Inoxidável “; Strike com o CD “Collab”. Assina a direção musical do novo CD e DVD do rapper Projota, “3Fs” , pela Universal Music.

Artistas pesquisadores: Erivan Sales Barbosa, Flaviene Vasconcelos Silva e Davi Fernandes Alves de Lima.

Nayra Costa

Resumo: A partir de sua experiência com a voz, que se apropriou das mais diferentes escolas musicais – como o soul, blues, jazz e reggae – em que prevalecem releituras e recriações, o projeto de Nayra Costa propõe a pesquisa em criação. Ao lado dos multi-instrumentistas Claudio Mendes e Pedro Madeira, serão investigadas estas sonoridades já diluídas em seu canto, bilíngue, para resultar  em novas composições, enfatizando as experiências rítmicas e melódicas.

Lab Musica 2016 Foto de Eduardo BiD 2Eduardo BiD

Multi-instrumentista, compositor, DJ e produtor. Vem registrando sua marca e sonoridade desde 1985. Produziu Afrociberdelia e CSNZ (discos de ouro de Chico Science & Nação Zumbi) e vários discos brasileiros e internacionais. Gravou álbuns autorais e fez remixes para Tribalistas, Jorge Benjor e Planet Hemp. Atuou dois anos na gravadora Capitol Records, em Los Angeles. De volta ao Brasil em 1993, compôs trilhas cinematográficas como “O Primeiro Dia”, de Walter Salles Jr. e “Chega de Saudade”, de Lais Bodanzky, entre outros. Realizou produções e parcerias com Seu Jorge, D2, Rappin’ Hood, Mundo Livre S/A, Marina Lima, Arnaldo Antunes, Fernanda Abreu, Daúde, Otto, Mariana Aydar. Foi convidado para fazer os álbuns da banda chilena Chancho em Piedra (ambos discos de platina) e o CD Manual Prático de uma Vida Banal, da banda portuguesa de hip hop Da Weasel, outro disco de platina. Em 98 formou a big band Funk Como Le Gusta, com 13 músicos. BiD se desligou da FCLG em 2005 e partiu em carreira solo com o disco “Bambas & Biritas vol. 1”, lançado na Europa, Japão e no Brasil, incluindo faixa inédita de Chico Science.

Artistas pesquisadores:  Nadja Nayra Costa da Silva, Pedro de Alcântara Madeira e Cláudio Mendes.

Tritões

Resumo: A proposta da banda é aperfeiçoar seus meios de criação e produção artística, desenvolvidos  a partir da inciativa do trabalho coletivo, que resultou em estúdio para gravações e autonomia na edição de imagens e vídeos, seguindo a filosofia do “tudo feito em casa”. Na base musical do projeto está a pesquisa das linguagens da canção pop e da performance.


Leo Ramos1Tutor:
Léo Ramos

Leo Ramos é músico produtor musical, formado em engenharia de som pela Alchemea, em Londres, e no Mix With The Master, na França. É o frontman e guitarrista da banda Supercombo. Também trabalha na Lua Nova Produções Sonoras e no Estúdio Gritaria Mix & Master. Mixou projetos das bandas Oficina G3 no disco “Histórias e Bicicletas”, banda Topaz nos álbuns “Terceiro” e “Onze Nós”, banda R. Sigma com o EP “Borboletas” e discos das bandas Medulla, Vinda e Rocca Vegas. Trabalhou também com produções em mixagens na publicidade com Seu Jorge, Claudia Leitte, Wando, Sidney Magal, Daniel, Luiza Possi, Digão (Raimundos) e Blu Bell.

Artistas pesquisadores: Bruno Santos da Silva, Victor de Holanda Calíope, Matheus Feitosa Brasil, Flávio Nascimento, Gabriel Fontenele e Oziel Albuquerque, integrantes da Banda Rivera.

Tocata Livre

Resumo: Da união de um músico prodígio e um virtuoso com um mestre veterano, nasce o Trio Herluno ― Nonato Lima (acordeon), Hermano Bezerra (baixo) e Luizinho Duarte (bateria). Projeto autoral, com base em composições assinadas por Nonato e Luizinho,  Tocata Livre pretende unir virtuosidade e vivacidade instrumental, livrando-se de convenções para alçar o voo livre da improvisação. Com duas gerações de instrumentistas reconhecidos, mergulha em ritmos brasileiros (forró, baião, choro) e universais (valsa, tango, flamenco) com arranjos ousados e espaço também para releituras de autores consagrados.

Lab_MÚSICA_JORGE_HELDERTutor: Jorge Helder

Contrabaixista e compositor cearense, começou seus estudos aos 9 anos, tendo como professores seu pai (bandolim) e sua tia (violão). Ainda morando em Fortaleza, aos 16 anos, entra para o grupo musical do colégio. Nesse mesmo período teve a oportunidade de acompanhar diversos artistas cearenses, como Teti e Rodger, Calé Alencar e Mona Gadelha, entre outros. Em 1982, ao concluir o segundo grau, muda-se para Brasília e ingressa na Escola de Música de Brasília (EMB), onde estudou contrabaixo acústico erudito. No período em que morou no Distrito Federal, acompanhou Rosa Passos, Cassia Eller, Zélia Duncan, Marco Pereira e muitos outros grandes músicos locais. Mais tarde produziria o primeiro disco de Cássia Eller. Em 1986 muda-se para o Rio de Janeiro para acompanhar Sandra de Sá e Marcos Valle, continuando estudos de contrabaixo erudito com o mestre Sandrino Santoro. A partir daí, atua em shows e discos de artistas como Maria Bethânia, Nana Caymmi, Gal Costa, Edu Lobo, Francis Hime, Adriana Calcanhoto e Chico Buarque, de quem se tornou parceiro.

Artistas pesquisadores: Raimundo Nonato de Lima Neto, Luís Hermano Cavalcante Bezerra e Luiz Duarte do Nascimento, integrantes do Trio Herluno.

// 2015

Aquarela Cearense – Grupo Murmurando

Artistas pesquisadores:

  • Samuel Rocha
  • Giltácio Sousa, Lauro Viana

Resumo: O Grupo Murmurando, formado por Samuel Rocha (violão de 7 cordas), Giltácio Santos (clarinete e saxofone), Cleylton Gomes (flauta e flautim) e Lauro Viana (cavaquinho), pretende aprimorar os aspectos técnicos, musicais e visuais do espetáculo “Aquarela Cearense”. O conceito do trabalho foi criado em 2013 para atender as exigências de shows e eventos culturais em nível nacional e internacional. O repertório consiste em composições de choro, gafieira, baião e outros ritmos, de autoria de Samuel Rocha, Giltácio Santos, além de músicas de grandes mestres brasileiros.

Mais informações: Clique aqui

A Terceira Casa – DanChá

Artistas pesquisadores:

  • Danilo Guilherme
  • Julio César Santana (Pepeu)
  • Milton Ferreira

Resumo: A banda DanChá, formada pelos músicos Pepeu (bateria), Milton Ferreira (baixo), Bruno Rafael (guitarra) e pelo cantor e compositor Danilo Guilherme, atua na cena cearense há 3 anos. Surgiu da união entre o trio instrumental Chacomdéga com o trabalho autoral de Danilo Guilherme. Sua proposta é construir o show “A Terceira Casa”, com a criação de arranjos e gravação de músicas inéditas, cujas letras tratam de um cotidiano particular, fundindo música popular brasileira com elementos do reggae e dub, samples e climas espaciais, pop e psicodelismo.

Mais informações: Clique aqui

Kimera – Ananias Gois

Artistas pesquisadores:

  • Ananias Gois
  • João Paulo Mesquita, Sebastião Freitas

Resumo: O show “Kimera”, do baixista e compositor Ananias Gois, foi criado para trazer ao público obras de novos artistas cearenses, que estão desenvolvendo trabalho instrumental autoral com influências brasileiras. Integram o projeto os músicos Tito Freitas, pianista, compositor e arranjador, e o saxofonista Bob Mesquita, sob direção musical do próprio Ananias.
Suas influências transitam pela sonoridade da música cearense – como Fagner, Petrúcio Maia, Belchior, Ednardo, Fausto Nilo e Lauro Maia, além de outros artistas, como João Bosco, Djavan, Tânia Maria, Ivan Lins, Arthur Maia, Nico Assumpção, Nelson Braxton, Kirk Walum, Norman Brown e Marcus Miller.

Mais informações: Clique aqui

Monocromático – Miguel Cordeiro

Artistas pesquisadores:

  • Miguel Cordeiro
  • Hugo Lage, Lucas Ribeiro

Resumo: Miguel Cordeiro é compositor, cantor e tecladista. Partiu para sua carreira solo ao lançar o primeiro CD, “Que Seja” (2013). No Laboratório de Música desenvolverá o projeto do seu novo espetáculo, denominado “Monocomático”,acompanhado dos músicos Hugo Lage Pessoa (guitarrista), Lucas Lopes Ribeiro (baixista), e PH (Paulo Henrick Oliveira, baterista). Em suas canções predominam referências do folk e rock, em letras que abordam encontros e desencontros amorosos e a condição humana.

Mais informações: Clique aqui

// 2014

Dois olhos

RESUMO“Dois Olhos” é o segundo trabalho solo do cantor, compositor e instrumentista Caio Castelo. Após lançar seu disco de estreia, “Silêncio em Movimento”, em 2013, realizar shows em diversos lugares do Brasil e uma turnê em Cabo Verde, o artista se encontra num momento da carreira em que as novas canções e uma dinâmica de trabalho criada no grupo que o acompanha desde então sugerem o surgimento de um novo show.

Tutor: Alê Siqueira

Artistas pesquisadores:

Caio Castelo (Caio Castelo Branco Monteiro Benevides)

Igor Ribeiro da Costa Abreu

Fernando Mário Paula de Aguiar Lélis

Mais informações: Clique aqui

Visus qua sonus

RESUMO: O projeto propõe que o Astronauta Marinho produza e execute um espetáculo sinestésico, unindo som e imagem.

Tutor: Regis Damasceno

Artistas pesquisadores:

Felipe Lima Couto

Caio Jorge Cartaxo de Almeida Santos

Guilherme Mendonça Alves

Mais informações: Clique aqui

As nuvens serão um colar de margaridas

RESUMO: O projeto surge a partir do show homônimo e trabalha canções de compositores cearenses próximos à cantora Soledad como Danilo Guilherme e Saulo Duarte através das trocas entre os integrantes da banda, explorando sonoridades flutuantes e timbres experimentais aliados à pegada rock’n’roll da cantora. Para o projeto, propõe-se o arredondamento dos arranjos e o amadurecimento estético do show, além da gravação de um disco e de videoclip em parceria com os alunos do laboratório audiovisual.

Tutor: Gui Amabis

Artistas pesquisadores:

Soledad Brandão (Soledad Maria Barbosa Brandão)

Bruno Rafael Lima Saraiva

Vitor Cavalcanti Colares

Mais informações: Clique aqui

Filho de Manicure

RESUMO: O projeto “Filho de Manicure” trata-se do processo de concepção e criação do show referente ao seu primeiro registro fonográfico, com todas as composições de sua autoria. Felipe de Paula pretende conceber o show a partir da investigação entre as linguagens da música, performance, audiovisual e artes visuais, e também a inserção de 5 músicas autorais inéditas. O show terá a direção do músico Cainã Cavalcante e a direção artística de Aspásia Mariana.

Tutor: Davi Moraes

Artistas pesquisadores:

Felipe de Paula (Felipe de Paula Silva)

Cainã Veras Cavalcante Pinheiro

Aspásia Mariana Santos Melo

Mais informações: Clique aqui

Vagabunda Flor

RESUMO: “Vagabunda Flor” é um projeto de espetáculo cênico-musical da cantora, compositora e atriz Marta Aurélia, como proposta de pesquisa para ser desenvolvida junto ao Laboratório de Música da Escola Porto Iracema das Artes. O projeto surge com uma canção homônima da lavra de Marta, na viagem conceitual da artista entre as fronteiras da música, do teatro e do cinema. O repertório é construído como roteiro dramatúrgico, com múltiplos ritmos e culturas, desde o canto indígena brasileiro até o hip hop.

Tutor: JR Tostoi

Artistas pesquisadores:

Marta Aurélia Bezerra

Erivan Barbosa Sales

Tauí Castro

Mais informações: Clique aqui

// 2013

O Circo dos Littles

RESUMO: Cada proposição musical traz consigo um jogo. Intensidades, texturas, encontros com o acaso. Cada jogador com seu instrumento. O concerto musical “O Circo dos Littles e Outros Brinquedos” insere-se em um universo que vai além do ambiente tonal, de formas pré-estabelecidas, para desenvolver um artesanato do som antropofágico por natureza. Do simétrico ao anárquico, a banda Hardy e o Fim do Mundo percorre o campo da experimentação e da improvisação. Sons e palavras criam o jogo de pesos e medidas que transporta o ouvinte a um ambiente lúdico, provocador, poético e inusitado. Estes elementos dão movimento e vida a um grande brinquedo sonoro.

Arrigo Barnabé

Tutor: Arrigo Barnabé (SP) oriundo de Londrina, Paraná, surge na cena musical brasileira no final dos anos 70. Em 1980 lança o álbum independente “Clara Crocodilo”, marco inicial da vanguarda paulista, apresentando uma fusão entre a música popular urbana e a música erudita
contemporânea. Atualmente apresenta “Pô, amar é importante- O neurótico e as Histéricas”, apresentando-se pela primeira vez com uma banda feminina.

Realizadores: A banda “Hardy e o fim do mundo” é formada por Carlos Hardy (artista proponente) teclado e voz; Tiago Barbosa (diretor musical), Guitarra; Sâmia Bittencourt (diretora artística), Fernando Lelis, Sax; Bruno Brasil, Baixo; Bruno Carvalho, Bateria; Back vocal, Samara Garcia, Michele Tajra.

Mais Informações: Clique Aqui.

Da funhouse para o mundo

RESUMO: O projeto da banda Jonnata Doll & Garotos Solventes foi desenvolvido especialmente para o Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes. Tem como pretensão o lançamento nacional do seu primeiro disco, homônimo, e a possibilidade de fazer turnês pelo Brasil, tocando em festivais e nas principais casas de shows especializadas. O disco gravado no ano de 2012 trata-se de um registro fonográfico de músicas inéditas, compostas pelo artista e cientista social fortalezense Jonnata Doll, reconhecido performer e cantor de rock que há quase 15 anos tem atuado no circuito underground de Fortaleza.

Alexandre KassinTutor: Alexandre Kassin (RJ) um dos melhores produtores do país, nome associado a Caetano Veloso, Los Hermanos, Vanessa da Mata, Jorge Mautner e Adriana Calcanhoto. Desde o começo dos anos 90, que o multi- instrumentista carioca traz invenção e referências da melhor qualidade aos sons em que põe a mão. Foi assim na Orquestra Imperial e em todos os inúmeros trabalhos de que participou, envolvendo Lenine, Marisa Monte, Bebel Gilberto, Macalé.

Artistas pesquisadores: A banda “Jonnata Doll e os Garotos Solventes” é composta por Edson Van Gogh (diretor musical) guitarra; Leo Breedlove (diretor assistente), guitarra; Saulo Raphael (artista proponente), baixo; Jonnata Doll, voz; e Marcelo Dennisdead, bateria

Mais Informações: Clique Aqui.

Ouvi dizer que lá faz sol

RESUMO: “Ouvi Dizer que Lá Faz Sol” é um projeto coletivo de vivência, atividade, concepção desenvolvimento e montagem de um novo espetáculo que tem por centro a música e dialoga com diferentes linguagens artísticas. Com o objetivo de unir originalidade e ousadia a um padrão de excelência, o projeto oferece à cena musical cearense um novo e qualificado produto, também apto a circular e repercutir por diferentes praças, com uma grande amostra do que se faz de novo em termos de música popular no Ceará. Tudo isto através das composições de novíssimos autores, todas na interpretação marcante de uma das representantes mais destacadas dessa nova cena: a cantora Lorena Nunes.

Beto Villares

Tutor: Beto Villares (SP) músico, produtor e compositor de trilhas sonoras para cinema. Compôs as musicas dos filmes “Cidade Baixa”, “O ano em que meus pais saíram de férias” “Xingu” e outros. Produziu o CD “Terceiro Samba” da Banda Mestre Ambrósio (2000), CD “Céu” (2005), de estreia da Cantora Céu , CD “Vagarosa”, da cantora Céu (2009), CD “Preto Brás II, Maldito Vírgula”, de Itamar Assumpção (2010). Em 2012 foi diretor musical da apresentação Brasileira na cerimônia da entrega da bandeira olímpica ao Brasil, no encerramento dos jogos olímpicos e paraolímpicos de 2012, em Londres.

Artistas pesquisadores: Lorena Nunes (voz); Claudio Mendes (diretor musical, guitarra, teclado); Igor Ribeiro (bateria, bateria eletrônica, percussão); Netinho de Sá (baixo elétrico, baixo sint); Thiago Rocha (flauta, sax tenor e soprano).

Mais Informações: Clique Aqui.

Jornada de Violão e Viola

Guilherme CruzRESUMO: O projeto “Jornada de Violão e Viola” trata de uma pesquisa de sonoridades entre o violão de seis cordas e a viola caipira de dez cordas, na continuidade de um caminho trilhado na música instrumental a partir do lançamento do CD “Jornada”, do músico, compositor e arranjador Marco Leonel Fukuda. A gravação do disco foi patrocinada pela Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), por meio do III Edital das Artes (2010), na categoria Gravação de CD Inédito. “Jornada” é um trabalho autoral de música instrumental para violão, com músicas solo, duos de violão e percussão, contemplando ritmos como baião, xote, frevo, ciranda, maracatu, quadrilha, modinha, samba e ijexá.

Tutor: Guilherme Cruz (MS) produtor musical e técnico de áudio formado pelo Musicians Institute, Hollywood, (California). Atualmente Guilherme mora em São Paulo onde trabalha no seu estúdio, o Aerolito, além de acompanhar como músico, o cantor e instrumentista sul-mato-grossense Almir Sater em seus shows por todo o Brasil.

Artistas pesquisadores: Marco Leonel Fukuda (artista proponente) viola, Alex Vasconcelos (diretor musical) no violão, Lohayne Lima (diretor artística).

Mais Informações: Clique Aqui.

Jangada Electra

RESUMO: O nome do espetáculo “Jangada Electra” é a junção dos títulos de duas composições de Alberto Nepomuceno, compositor que será o fio condutor da banda Banana Scrait. O desafio será interpretar livremente as suítes e canções do maestro num espetáculo que busca uma releitura de sua música. A linguagem musical será contemporânea, acrescentando instrumentos que normalmente não são utilizados para executar tais composições eruditas, como a guitarra, os sintetizadores, o saxofone e a bateria. A ideia é que o espetáculo possa gerar curiosidade pelo ineditismo da sua forma, chamando atenção para a obra de um dos mais importantes e influentes nomes da música cearense com repercussão internacional nos séculos XIX e XX.

Adriano CintraTutor: Adriano Cintra (SP) participou de uma das bandas mais seminais da cena independente paulistana, o Thee Butchers’ Orchestra. Em 2003 formou o Cansei de Ser Sexy que obteve imenso sucesso internacional, com quem produziu três discos. Em Londres produziu remixes para vários artistas internacionais, entre eles Kylie Minogue e Mark Ronson. Em 2011 produziu faixas para o novo disco do Jota Quest , Marina Lima entre outros.

Artistas pesquisadores: A banda “Banana Scrait” é formada por Andrea Agda (artista proponente) guitarra; Daniel Arruda (diretor artístico) teclados e clarinete; Rômulo Santiago, trombone (Banda Banana Scrait)

Mais Informações: Clique Aqui.