Jovens indígenas cearenses fazem exposição no Porto Iracema das Artes

A Exposição da Juventude Indígena traz a recente produção fotográfica de jovens de seis etnias do Estado

De 11 de abril a 8 de junho, a Galeria Leonilson, no Porto Iracema das Artes, recebe a Exposição da Juventude Indígena, sob a curadoria do fotógrafo Iago Barreto, ex-aluno da Escola. A mostra reúne imagens produzidas por jovens dos povos Tapeba, Tremembé, Jenipapo Kanindé, Tabajara, Kanindé, Pitaguary.

A exposição traz uma seleção de 30 imagens feitas por 17 jovens artistas indígenas (Aline Pitaguary, Any Tabajara, Aruena Tabajara, Clara Kanindé, Cleane Tremembé, Elvis Kanindé, Emanuelle Tabajara, Emille Jenipapo-Kanindé, Isaias Kanindé, Kilvia Tapeba, Magna Tabajara, Maykon Kanindé, Natan Jenipapo-Kanindé, Raíssa Tabajara, Suerdo Kainindé, Thais Pitaguary, Valéria Kanindé, Viviane Kanindé) e por dois coletivos indígenas (AJIT – Associação da Juventude Indígena Tapeba e Coletivo Pitaguary). As fotografias mostram a diversidade do olhar dos jovens que, por meio do acesso aos equipamentos digitais, puderam explorar o cotidiano das aldeias, os eventos, retratar seus familiares e amigos a partir de suas próprias perspectivas. “Dou aula de fotografia há quatro anos nas etnias indígenas e acho importante que eles tenham autonomia de imagem. Muita gente vai, fotografa e essas imagens nunca voltam, eles nunca têm acesso”, destaca o Iago, curador da exposição, fotógrafo e educador artístico.

Segundo o também fotógrafo e educador artístico, a mostra é mais uma ferramenta na luta dos 14 povos indígenas do Ceará por afirmação da identidade. “Poder se fotografar, se filmar, é uma força poderosíssima, porque cria independência da própria imagem. Os povos indígenas começam a refletir como querem se mostrar e utilizar as mídias”, diz Iago.

Esta é a primeira exposição no Estado a reunir fotos feitas pelos próprios jovens indígenas de diversas etnias. A mostra ficará aberta ao público na Galeria Leonilson, antiga sala A1 do Porto, adaptada especialmente para abrigar mostras de artes visuais. A escolha do nome para o espaço é uma homenagem a José Leonilson Bezerra Dias (1957-1993), artista cearense que atuou como pintor, desenhista e escultor, cujo trabalho se tornou referência na arte contemporânea brasileira.

A mostra é uma realização de Iago Barreto Soares, da Associação de desenvolvimento local Co-Produzido (Adelco) e da Cojice – Comissão de Juventude Indígena do Ceará, em parceria com o Porto Iracema das Artes.

 

Confira a ficha técnica da Exposição da Juventude Indígena

Curadoria
Iago Barreto Soares

Expositores Individuais
Aline Pitaguary
Any Tabajara
Aruena Tabajara
Clara Kanindé
Cleane Tremembé
Elvis Kanindé
Emanuelle Tabajara
Emille Jenipapo-Kanindé
Isaias Kanindé
Kilvia Tapeba
Magna Tabajara
Maykon Kanindé
Natan Jenipapo-Kanindé
Raíssa Tabajara
Suerdo Kainindé
Thais Pitaguary
Valéria Kanindé
Viviane Kanindé

Coletivos
AJIT (Associação da Juventude Indígena
Tapeba)
Coletivo Pitaguary

SOBRE A ESCOLA
O Porto Iracema das Artes é uma escola de criação e formação em artes do Governo do Estado do Ceará/ Secretaria da Cultura, sob a gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de cursos básicos e técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

SERVIÇO
O quê: Abertura da Exposição da Juventude Indígena do Ceará
Quando: 11 de abril a 8 de junho
Onde: Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160)
GRATUITO

Assessoria de Comunicação do Porto Iracema das Artes  |  Manuela Sales
Publicado em: 06/04/2018