Loading...

Jorge Oliveira, uma jovem aposta da fotografia

5
Fotos: Danielle Sousa e Natanael Freires

Aos 18 anos, Jorge Oliveira foi um dos fotógrafos selecionados para exposição NARRATIVAS E ALTERIDADE – O OUTRO EM NÓS, realizada pelo evento Encontros de Agosto 2016, em cartaz no Museu da Cultura Cearense (MCC), do Centro Cultural Dragão do Mar.
O trabalho exposto foi desenvolvido durante o percurso de fotografia do Programa de Cursos Básicos da escola Porto Iracema das Artes. Jorge também se orgulha de uma fotografia sua publicada em umas das principais revistas de música do mundo, a Revista Rolling Stones Brasil, registro realizado durante a Maloca Dragão 2016.
Morador do bairro Meireles, ele ainda é estudante e começa a dar seus primeiros passos na arte através de ações formativas propostas pelo Porto Iracema e muitos outros lugares.

O interesse pela fotografia se deu por meio da apreciação das artes visuais, e segundo ele, graças ao Centro Cultural Dragão do Mar, teve o olhar educado que o permitiu enxergar a fotografia não somente como instrumento documental de afetividade, mas também como arte.
“O principal desafio que enfrento é o processo criativo, pensar em conceito e conseguir unir técnica ao manusear a imagem, do processo de captura na câmera a edição”, afirma o fotógrafo.
A primeira vez que Jorge entrou no Porto Iracema foi para assistir a palestra do João Cândido Portinari, em comemoração ao Dia Nacional da Cultura, em 2015. Desde lá já participou de várias atividades formativas, dentre elas, o curso de férias “Rumor dos verdes mares – arte e historia no litoral cearense”, “Eu o outro”, com Efraim almeida e outras vivências com Solon Ribeiro, Maira Bosi, Descoletivo e Walter Costa.

Sobre suas referências no meio fotográfico Jorge destaca Marília Oliveira “Uma das minhas maiores referencias é minha professora Marília Oliveira, por trabalhar tão abertamente o autobiográfico, o que me interessa e serviu de inspiração durante o ensaio “Disforia” que foi selecionado para fazer parte da exposição Encontros de Agosto 2016. Mas também sou apaixonado pelo trabalho do Tiago Santana e Sergio Carvalho, que acredito serem dois dos maiores nomes da fotografia cearense”, declara o estudante.
Como fotógrafo Jorge almeja um projeto maior, com pesquisa e material que possa ser trabalhado em formato físico (em um livro), mas enfatiza “quero continuar tendo meu trabalho exposto em conjunto com pessoas que admiro, principalmente meus professores Filipe Acácio e Marília Oliveira”, deseja o jovem fotógrafo.