João Silvério Trevisan e Avelino Romero Pereira discutem a história e a ficção em torno de Alberto Nepomuceno no próximo encontro do III SIRIM

Evento acontece no centenário da morte do maestro cearense, numa parceria do Porto Iracema das Artes com grupo o de pesquisa Irim, da Uece. Terceiro encontro, que acontece no dia 19 de outubro, traz também uma apresentação do “Hino do Ceará” em vídeo

“Alberto Nepomuceno: entre a História e a Ficção” é o tema da próxima mesa-redonda do III SIRIM – Simpósio de Regência e Interpretação Músical Alberto Nepomuceno em foco. O evento contará com a participação do pesquisador Avelino Romero Pereira e do escritor João Silvério Trevisan e terá a mediação da regente e também pesquisadora, Inez Martins. Terceiro encontro do Simpósio, a programação será transmitida em live no Facebook e no YouTube do Porto Iracema das Artes na segunda-feira, 19 de outubro, a partir das 20h.

Para esta noite, foi programada ainda a apresentação do vídeo “Hino do Ceará”, composição de autoria do homenageado que também deixou seu marco na canção do Nordeste. Pesquisadores com atuação de destaque nacional, Silvério Trevisan e Avelino Romero irão debater os fatos e as memórias da personalidade do cearense, considerado um dos maiores compositores brasileiros. Nepomuceno é um dos personagens reais do quinto romance de Trevisan, “Ana em Veneza”, lançado em 1994, obra concebida a partir de elementos de época e de ficção, que trata de questões da identidade brasileira. Escritor prolífico, Trevisan é autor de um clássico LGBT nacional, “Devassos no Paraíso”, reeditado em 2018. Lançou também “Pai, Pai” (2017) e “Rei do Cheiro” (2009) e mais recentemente “A Idade de Ouro do Brasil” (2019).

O escritor João Silvério Trevisan é um dos convidados desta terceira mesa-redonda do III Sirim.

O Simpósio teve início em agosto e já reuniu grandes nomes da música brasileira, somando duas apresentações para cada ocasião. O primeiro encontro discutiu o tema “Modinha e as canções de Nepomuceno” [veja AQUI], e o segundo foi sobre os “Aspectos da obra instrumental de Alberto Nepomuceno” [veja AQUI].

Uma realização da Escola Porto Iracema das Artes em parceria com o Grupo de Pesquisa IRIM – Investigação em Regência e Interpretação Musical (Uece/CNPQ), o III SIRIM integra a programação especial “Ano Alberto Nepomuceno”, em memória ao centenário da morte do compositor (1864-1920). Para os debates, são convidados estudiosos da obra de Nepomuceno de todo o País para discutir e revisitar as suas influências e o seu legado.

O pesquisador Avelino Romero Pereira também vai estar nesta edição.

PROGRAMAÇÃO

O penúltimo dia de programação acontecerá em 16 de novembro, a partir das 20h, com o debate “A modernidade em Nepomuceno”. Para o evento foram convidados o pesquisador e professor Luiz Guilherme Goldberg e o maestro Julio Medaglia, sob mediação de Anna Maria Kieffer. Um vídeo da “Marcha” da Ópera Abul também será apresentado.

O evento será encerrado no dia 14 de dezembro, com a presença do poeta e repentista Geraldo Amâncio, do poeta e cordelista Geraldo de Almeida Nobre e da professora Elba Braga Ramalho na mesa-redonda “Aspectos da Tradição em Nepomuceno e a cantoria nordestina”. A mediação será realizada pelo professor e pesquisador Gilmar de Carvalho. Ao final, acontecerá apresentação do vídeo “A jangada”.

Toda a programação tem curadoria de uma comissão formada pelos músicos e pesquisadores Elba Braga Ramalho, Gilmar de Carvalho, Inez Martins Gonçalves, Anna Maria Kieffer e Marcio Landi. O evento conta, ainda, com a parceria da Universidade Estadual do Ceará e do Curso de Música da UECE.

III SIMPÓSIO DE REGÊNCIA E INTERPRETAÇÃO MUSICAL “ALBERTO NEPOMUCENO EM FOCO”

  • 19 de outubro – Segunda-feira – 20h
    Alberto Nepomuceno: entre a História e a Ficção
    Com Avelino Romero Pereira e João Silvério Trevisan
    Mediação: Inez Martins
    Apresentação do vídeo “Hino do Ceará”
    Onde: Youtube e Facebook do Porto Iracema das Artes

 

  • 16 de novembro – Segunda-feira – 20h
    A modernidade em Nepomuceno
    Com Luiz Guilherme Goldberg e Julio Medaglia
    Mediação: Anna Maria Kieffer
    Apresentação do vídeo “Marcha” da Ópera Abul
    Onde: Youtube e Facebook do Porto Iracema das Artes

 

  • 14 de dezembro – Segunda-feira – 20h
    Aspectos da Tradição em Nepomuceno e a Cantoria Nordestina
    Com Geraldo Amâncio, Guilherme de Almeida Nobre e Elba Braga Ramalho
    Mediação: Gilmar de Carvalho
    Apresentação do vídeo “A jangada”
    Onde: Youtube e Facebook do Porto Iracema das Artes

Sobre os convidados de outubro

Avelino Romero Pereira

Graduado em História (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988). Mestre em História Social do Brasil pela UFRJ (1995) e Doutor em História Social pela UFF (2012). Desenvolveu estágio de pesquisa pós-doutoral junto ao Setor de História da Fundação Casa de Rui Barbosa (RJ). Realizou também estudos de música na UFRJ (graduação incompleta em piano). Atualmente é professor de História da Música da UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro). É autor de Música, Sociedade e Política: Alberto Nepomuceno e a República Musical. Rio de Janeiro: UFRJ, 2007, versão revista de sua dissertação de Mestrado, e de artigos sobre tango e sobre música no Brasil. Tem participado de diversos eventos acadêmicos nas áreas de História Cultural e História Intelectual do Brasil e da América Latina. Desenvolve atividades de pesquisa e docência voltadas para a compreensão de uma História Cultural e Social da Música. Além de pianista, é bandoneonista, atuando à frente do Quinteto Los Mareados, dedicado ao tango.

João Silvério Trevisan

João Silvério Trevisan é escritor, cineasta, dramaturgo, tradutor, pioneiro dos estudos LGBT no país, com o clássico “Devassos no Paraíso”. Dirigiu o longa metragem cult Orgia ou o homem que deu cria (1971), que ficou proibido durante mais de 10 anos pela ditadura. Desde 1987, vem coordenando concorridas oficinas de criação literárias rm diferentes instituições no Brasil e na internet, pelas quais já passaram mais de uma geração de novos escritores. Ganhou alguns dos principais prêmios artísticos brasileiros, tendo recebido 3 vezes o Prêmio Jabuti, um dos mais reputados prêmios literários do Brasil, assim como 3 vezes o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Artes (APCA). Foi contemplado com bolsas da FUNARTE (Fundação Nacional de Arte), Fundação Vitae (São Paulo) e Prefeitura da Cidade de Munique (Alemanha). Recebeu mais de uma vez o Prêmio Estímulo, da Prefeitura de São Paulo, para desenvolvimento de roteiros cinematográficos. Em 2001, foi escritor-residente na Universidade do Texas, em Austin. Seu conto “Dois corpos que caem” compõe a antologia “Cem Melhores Contos Brasileiros do Século 20”. Ativista na área de direitos humanos, fundou em 1978 o “Somos”, primeiro Grupo de Liberação Homossexual do Brasil, e foi um dos editores-fundadores do mensário “Lampião da Esquina”, o primeiro jornal voltado para a comunidade LGBT brasileira, ainda na década de 70. Atualmente reside na cidade de São Paulo.

Inez Martins

Inez Martins é graduada em piano pela Universidade Estadual do Ceará, Mestre em Artes pela Universidade de São Paulo, Doutora em História pela Universidade Federal de Minas Gerais e Doutora em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa. É professora efetiva da Universidade Estadual do Ceará desde 2004, líder/membro do grupo de pesquisa IRIM-CNPQ e atual regente do Coral da UECE. Suas áreas de atuação são Regência, Musicologia e Educação Musical com ênfase em temas voltados à prática de orquestra, bandas e coral. Como regente convidada esteve à frente da Orquestra Sinfônica da UECE, Orquestra Eleazar de Carvalho (CE), Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (SP), Orquestra Sinfônica Jovem de Tatuí (SP), Banda José Siqueira da Universidade Federal da Paraíba (PB). Em 2014 foi regente assistente do maestro Dario Sotelo na III Semana de Composição para Bandas “Coreto Paulista” em Tatuí, onde regeu em primeira audição mundial, obras escritas para banda sinfônica por jovens compositores. Como pesquisadora, estuda o tema das bandas de música no “longo” século XIX, suas práticas locais conectadas às práticas mundiais. Atua na graduação como docente e orientadora de trabalhos voltados à didática do ensino de música. Integra a comissão organizadora dos festejos do centenário de falecimento de Alberto Nepomuceno no Ceará para o ano de 2020.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O que: João Silvério Trevisan e Avelino Romero Pereira discutem a história e a ficção em torno de Alberto Nepomuceno no próximo encontro do III SIRIM

Quando: 19 de outubro, a partir das 20h
Onde acessar: Facebook e Youtube do Porto Iracema das Artes

Equipe de Comunicação Porto Iracema das Artes | Pedro Victor Lacerda

Publicado em 29/09/2020