Com abertura de Nelson Brissac, IV Semana de Arte Urbana de Fortaleza convida a olhar para a cidade revelada pela arte

Serão três dias de programação discutindo a expressão artística das ruas

A arte de rua não apenas intervém, mas cria uma cidade que não existe, dá movimento e espaço a lugares imaginários e possibilita mostrar que nem sempre há sobreposição entre mapas e territórios. A partir desse pensamento, a IV Semana de Arte Urbana (SAU) de Fortaleza nos convida a despertar novos olhares a partir das artes e paisagens urbanas. Em sua quarta edição, o evento acontece entre os dias 6 e 8 de dezembro, no Porto Iracema das Artes, e inclui debates e oficinas.

“Esta edição está mais ligada à relação entre arte e cidade. Intervenções urbanas que criam a ideia de participação, de movimento, que nos convocam a interagir com elas. É um convite a vermos a cidade como grande museu a céu aberto”, destaca Glória Diógenes, antropóloga e professora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará (UFC) que assina a curadoria do evento.

“Vamos abordar as variadas formas de intervenções urbanas, não somente da arte consagrada. É através destas intervenções que conhecemos a cidade onde moramos. Elas narram nossa história, expressam o acontecer da cidade”, ressalta a curadora. A programação contará com a presença de grandes profissionais, que vão discutir, entre outras coisas, a articulação entre paisagem e arte urbana.

A conferência de abertura do evento, no dia 06 de dezembro, será às 19h, com o filósofo Nelson Brissac. Ele trará suas reflexões a partir do tema “Ver do meio. Experiência e percepção na cidade contemporânea”. Já no dia 07, às 15h, a programação inicia com a mesa “Arte Urbana, Estética e Política”, que terá a professora e pesquisadora Deisimer Gorczevski , a artista Aline Albuquerque, Sabrina Araújo e o Bruno Spote do Servilost/ Titanzinho. À noite, a partir das 19h, a editora de fotografia do Jornal O POVO, Iana Soares, a artista visual e escritora Raisa Christina dividem a mesa “Cartografias de Afetos: Arte e Cidade”.

“Riscos, rasuras, grafias e nomes: quem assina a cidade?” é o tema da mesa que encerra a programação e terá como debatedores o pesquisador Daniel Mittmann, a coordenadora dos cursos de Artes Visuais do Porto Carolina Vieira e a professora da Unifor Alessandra Oliveira. O encontro ocorre às 19h. As mesas de abertura e encerramento serão no auditório do Porto Iracema e no dia  7 de dezembro, mesa da tarde na Sala B2 e da noite na sala A5.

Oficinas

Na programação formativa, o grupo Acidum ministrará uma oficina de Stencil. Gustavo Diógenes fará a oficina de Figura Urbana, enquanto Vitor Grilo ministrará a oficina Isso Não é Pixação: Diálogos entre Xarpi e Video Mapping. As três oficinas acontecerão no período da tarde, durante os três dias. São oficinas de 9 horas/aula (quarta , quinta e sexta, das 14h30 às 17h30. A participação nas oficinas é por ordem de chegada, portanto não abriremos inscrições prévias.

No dia 08, último da programação, o evento termina com uma festa de encerramento a partir das 20h30min. O som ficará por conta do DJ Alexandre Diógenes e serão projetadas fotos de Joyce S. Vidal, graduada em Cinema e fotógrafa do Porto Iracema das Artes.

A quarta edição do evento, assim como demais atividades do Porto Iracema, é gratuita e aberta ao público. Confira abaixo a programação completa do evento.

SOBRE OS CONVIDADOS

Glória Diógenes é professora doutora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará (UFC), Coordenadora do Laboratório das Juventudes (LAJUS), fundadora e ex-coordenadora do “Projeto Enxame – fazendo arte com gangues e galeras” e ex-Secretária de Direitos Humanos da Prefeitura Municipal de Fortaleza. Em 1998, como resultado de sua tese de doutorado, lançou o livro “Cartografias da Cultura e da Violência – gangues, galeras e o movimento hip hop”; em 2003, o livro “Itinerários de Corpos Juvenis” ; em 2004, o livro “Cenas de uma Tecnologia Social: Botando Boneco”; em 2008, o livro “Os Sete Sentimentos Capitais: Exploração Sexual Comercial de Crianças e Adolescentes”; e em 2010, “ViraVida – uma virada na vida de meninos e meninas no Brasil”. Durante o ano de 2013, foi investigadora visitante do Instituto de Ciências Sociais (Universidade de Lisboa). Atualmente é membro-fundadora da Rede de pesquisa Luso-brasileira em Artes e Intervenções Urbanas.

Nelson Brissac Peixoto é filósofo, trabalhando com questões relativas à arte e ao urbanismo. Doutor em Filosofia pela Universidade de Paris I – Sorbonne, é professor do curso Tecnologias da Inteligência e Design Digital da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Publicou, dentre outros livros, Paisagens Urbanas, Ed. Senac, 1996; Arte/Cidade – Intervenções Urbanas, Ed. Senac, 2002; Paisagens Críticas – Robert Smithson: arte, ciência e indústria, em 2011. Foi responsável pela organização e curadoria de Arte/Cidade (1994-2002). Atualmente desenvolve os projetos ZL Vórtice, na zona leste de São Paulo, e Arte/Cidade Linha Metálica.

Deisimer Gorczevski  é professora e pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Artes, no Instituto de Cultura e Arte da UFC (ICA-UFC) e coordenada o Laboratório Artes e Micropolíticas Urbanas – LAMUR. Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), realiza estudos nas áreas das artes e da comunicação com ênfase nos temas: arte e vida cotidiana, arte e política, cidade e espaço comum, intervenções urbanas e audiovisuais, subjetividade e processo de criação coletivo e colaborativo, micropolítica e políticas públicas.

Daniel Mittmann é formado em Filosofia pela UNISINOS, no estado do Rio Grande do Sul, especialista em Sociologia pela ESP – Escola de Sociologia e Política de São Paulo e Mestre em Educação pela UNESP, São Paulo. Autor do livro “O Sujeito-pixador: tensões acerca da prática da pichação paulista” (MULTIFOCO, 2013). Seus estudos tem interesse no debate das questões relativas à dinâmica do poder e dos seus agenciamentos no espaço urbano da cidade capitalista global, bem como das possibilidades de resistências e do surgimento de dispositivos de autogestão de práticas conflituosas de caráter cultural, social e política dentro da forma-cidade. Professor de filosofia na rede pública estadual de São Paulo e, atualmente, afastado do cargo para estudos no campo da Antropologia Urbana na Universidade Federal de Santa Catarina.

Raisa Christina é artista visual e escritora, nascida em Quixadá , no Ceará. Graduou-se em Artes Visuais pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE) e concluiu Mestrado em Artes pelo PPGArtes do ICA-UFC, tendo se dedicado a pesquisar poéticas no desenho e na criação de mapas de jovens skatistas e seus percursos errantes em Fortaleza. É autora do livro de autoficção “Mensagens enviadas enquanto você estava desconectado”, publicado pela Editora Substânsia em 2014. Integra a Antologia de Contos Literatura Br, publicada pela Editora Moinhos em 2016, e a revista Para Mamíferos N° 4, 2017.

Iana Soares é jornalista e fotógrafa. Começou a fotografar quando pesquisava o processo de afirmação étnica dos índios Tremembé. Depois de graduar-se em Ciências Sociais, na Universade Estadual do Ceará (UECE), voltou para o Jornalismo, na UFC, e reencontrou a imagem, além da palavra. Fez mestrado em Belas Artes, na Universidade de Barcelona, na Espanha. Participou de diversas exposições e mostras como os Encontros de Agosto, o Festival de Fotografia de Tiradentes, a exposição Mapes desorientats, em Barcelona, e Derivas, em Valência, entre outros. Em 2015 foi ganhadora do Prêmio BNB de Jornalismo, na categoria fotografia nacional, com o trabalho “Sertão a Ferro e Fogo – Marcas de gado e gente”.  É editora de fotografia do jornal O POVO e professora da Travessa da Imagem. Foi professora do Percurso de Fotografia do Porto Iracema das Artes (2017).

Bruno (Spote) é grafiteiro, ilustrador e tatuador, envolvido com arte urbana a mais de uma década, já participou de exposições coletivas e diversos festivais na cidade de Fortaleza e em outras cidades do estado.

Sabrina Araújo é formada em Publicidade e Propaganda e mestre em Políticas Públicas e Sociedade pela UECE, pesquisa a relação entre arte e política e suas interferências na cidade. É professora do curso de Publicidade da Faculdade Cearense (FAC) e integrante do Coletivo Aparecidos Políticos desde 2013 e da Rede Rocheda, constituída em 2017. Atualmente está como colaboradora do Coletivo Audiovisual do Titanzinho, onde em 2015 partilhou com outros jovens a experiência de coordenação do projeto Serviluz das Artes, aprovado no primeiro Edital Nossa Ação Muda a Cidade, da Coordenação de Juventude de Fortaleza.

Aline Albuquerque é formada em Artes Plásticas pela Universidade de Campinas (UNICAMP) e mestre em Artes pela UFC, onde desenvolveu a pesquisa “Ornamento aventura errante”. É artista pesquisadora do LAMUR – Laboratório de Artes e Micropolíticas Urbanas e assistente de coordenação do Laboratório de Artes Visuais do Porto Iracema.

PROGRAMAÇÃO IV SAU

Dia 06 de dezembro  – 19h –  Auditório

Palestra de abertura: Ver do meio. Experiência e percepção na cidade contemporânea – com Nelson Brissac Peixoto;

Dia 07 de dezembro – 15h – Sala A3

Arte Urbana, Estética e Política. (Mesa com Deisimer Gorczevski, Aline Albuquerque, Sabrina Araújo e Bruno Spote – Servilost/Titanzinho;

Dia 07 de dezembro – 19h –   Sala A5

Cartografias de Afetos: Arte e Cidade. Iana Soares e Raisa Christina.

Dia 08 de dezembro – 19h   Auditório

Riscos, rasuras, grafias  e nomes: quem assina a cidade? (mesa com Daniel Mittmann, Carolina Vieira, Alessandra Oliveira)

Dia 08 de dezembro – 20h30 (Pátio do Porto Iracema das Artes)

Festa de encerramento com o DJ Alexandre Diógenes e projeções de fotos da Joyce S. Vidal

Oficinas

Serão três oficinas e, para cada uma, 15 vagas a serem preenchidas por ordem de chegada.

Nos dias 6, 7 e 8/12, das 14h30 às 17h30, cada uma:

– Laboratório Acidum: Stencil Arte – com Acidum Project – Ateilê

– Figura urbana: pintura gestual e confecção de lambes – com Gustavo Diógenes – Sala B2

– Isso Não é Pixação: Diálogos entre Xarpi e Video Mapping – com Vitor Grilo – Sala A5

Serviço:

O que: IV Semana de Arte Urbana de Fortaleza

Quando: De 06 a 08 de dezembro

Onde: Porto Iracema das Artes (R. Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema)

GRATUITO

  • OFICINAS

Dia 06/12:

– Laboratório Acidum: Stencil Arte – com Acidum Project – de 14h às 17h30 no Ateilê
– Figura urbana: pintura gestual e confecção de lambes – com Gustavo Diógenes  – de 14h às 17h30 na Sala A3
– Isso Não é Pichação: Diálogos entre Xarpi e Video Mapping – com Vitor Grilo  – de 14h às 17h30 na Sala A5

Dia 07/12:
– Laboratório Acidum: Stencil Arte – com Acidum Project  – de 14h às 17h30 no Ateilê –
– Figura urbana: pintura gestual e confecção de lambes – com Gustavo Diógenes  – de 14h às 17h30 na Sala A3
– Isso Não é Pichação: Diálogos entre Xarpi e Video Mapping – com Vitor Grilo  – de 14h às 17h30 na Sala A5

Dia 08/12:
– Laboratório Acidum: Stencil Arte – com Acidum Project – de 14h às 17h30 no Ateilê
– Figura urbana: pintura gestual e confecção de lambes – com Gustavo Diógenes  – de 14h às 17h30 na Sala A3
– Isso Não é Pichação: Diálogos entre Xarpi e Video Mapping – com Vitor Grilo  – de 14h às 17h30 na Sala A5

GRATUITO

 

Publicado em 29/11/2017

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes / Manuela Sales