Felipe Damasceno e William Pereira Monte

Felipe Damasceno – Bailarino, intérprete-criador e performer. Iniciou suas atividades em 2006 no Grupo CEM (Centro de Experimentações em Movimentos), dirigido por Silvia Moura. Apresentou entre 2006 e 2013 os trabalhos: Mentiras Sinceras (2006), Corpos Aprisionados (2008), Desaponte-me (2007), Desculpa (2009), Dúvidas, Entalos e Inquietações (2009) IND GENTE – Uma Dança para a Solidão (2009), Em busca de… (2010) Nelson VIVE(2010) e Apenas para ser VIVIDO (2011). Desde 2011 realiza a concepção e produção de vídeosarte, tais como: As Aventuras de Berta (desde 2011), Hambúrguer – Meu grande Amor (2012), Chamadas para Evento Ocupa-se (2012), Confissões de Cama (2012), Cílios e Cigarros (2013), Próteses (2013), Útero (2015), entre outros. Ministra regularmente oficinas regulares de técnica clássica, dentre um dos espaços: Espaço Artelaria, durante o período de janeiro de 2013 a fevereiro de 2014 e na Academia Mukky na cidade de Pacajus durante o ano de 2011 a 2012 com turma infantil e juvenil.

William Pereira Monte – É artista e pesquisador em dança e performance. Em suas experimentações, utiliza da hibridação entre diferentes linguagens artísticas para a composição de suas obras. Investiga composições no campo da antropologia urbana e da arte e na Arte/Política para traçar modos de ação na criação cênica; modos de composição improvisacionais e de composição em tempo real; Graduado em Ciências Sociais na Universidade Estadual do Ceará (UECE), tendo participado do grupo de pesquisa em Artes do Espetáculo. Bacharel em Dança na Universidade Federal do Ceará (UFC), participando de monitorias em docência da dança e do projeto Improvisa, que tem por objetivo desenvolver a improvisação como potencialidade da criação em dança no momento presente.