Evento “Ouse Se Quiser” celebra mês da mulher no Porto Iracema das Artes

Obra de Bianca Queiroz.

Programação é composta por três atividades que relacionam arte e gênero

Na semana posterior ao dia 08 de março, em que comemora-se o Dia Internacional da Mulher, o Porto Iracema das Artes receberá o evento “OUSE se quiser”, promovido pela banda Ouse em parceria com o Laboratório de Música da Escola. A programação foi organizada pela própria banda e inclui três ações que acontecerão na sexta-feira do dia 15 de março, reunindo coletivos femininos que trabalham com arte, como o Coletivo Girls To The Front, e artistas independentes. O evento é integralmente gratuito e aberto a todos os interessados.

A programação começa a partir das 16h com a mesa “As mulheres na Arte”, que será composta por Natália Coehl, Renata Façanha, Nina Santiago, Joicy Gomes e Raisa Cristina. Elas falarão sobre suas trajetórias individuais no fazer artístico e a relação disso com a condição feminina. A mesa acontecerá no Auditório do Porto Iracema e os 60 lugares serão ocupados por ordem de chegada, a partir das 15h.

O evento prossegue às 18h, com abertura de exposição produzida pelas artistas Bianca Queiroz, Anauã Luamy, Gabrielle Neara, Raisa Christina, Nina Santiago e Natercia Santana. Na exposição, que acontece no hall do café da Escola, as artistas exploram gênero e feminilidade nas artes visuais, trabalhos que se utilizam de fotografia, ilustrações e colagem digitais, pintura e instalação em crochê.

Obra de Anauã Luamy.

Também às 18h, o espaço ganhará uma feirinha temporária, cujos produtos dialogam com a proposta do evento. Serão vendidas peças de crochê, tricô e bordado, sabonetes, ilustrações, quadros, chaveiros, bottons, adesivos, camisas, ecobags, bijuterias artesanais, entre outros.

Por fim, o evento contará um show de lançamento do primeiro disco do grupo musical, também no hall da Escola, às 19h30. A banda OUSE escolheu o Porto Iracemas das Artes para lançar o EP, intitulado “Desculpe Por Todo Esse Sangue”, fazendo referência à luta do movimento feminista. Com repertório composto por músicas que possuem características fortes, o disco mescla timbres agressivos e texturas instigantes e envolventes. As letras abordam temas sobre desconstruções de padrões sociais, as relações interpessoais contemporâneas e o autoconhecimento.

Sobre a OUSE

OUSE é uma banda de rock de Fortaleza, formada em 2016 por veteranos do cenário independente da capital. É formada por Juliana Pessoa (voz), Ícaro Manfrinni (guitarra e programações), Suiane Pessoa (baixo) e Nyelsen Bruno (bateria). Apesar de pouco tempo de formação, OUSE surpreende em suas apresentações pela qualidade sonora e performance de palco, características que garantiram a presença da banda em vários palcos da cena rock local e de outros estados, como Feira da Música, Centro Dragão do Mar, Ponto.CE, Centro Cultural Ouvidor 63 (São Paulo), Centro Cultural Do Sol (Natal), Centro Cultural Espaço Mundo (João Pessoa), entre outros.

Sobre as participantes

Natália Coehl

Graduada em Licenciatura em Teatro pelo IFCE, Natália Coehl tem especialização em Mímica e Teatro Físico com a Cia Luis Louis. Desde 2015 pesquisa os sistemas colonizadores e as suas interferências sobre o corpo. Para pensar em possibilidades de desconstruir esses mapas físicos, criou experiências performativas, as quais colocam seu corpo em situação estética, como forma de promover transformações existenciais. Em 2018, criou juntamente a Diogo Braga e Thales Luz o trabalho de dança Cavalgada Selvagem. Esta pesquisa teve apoio do Laboratório de Dança da Escola Porto Iracema, com orientação dramatúrgica do bailarino Marcelo Evelin e preparação corporal de Michelle Moura.

Renata Façanha

Feminista, psicóloga clínica de abordagem psicanalítica e especialista em neuropsicologia. Atuante nas políticas públicas de saúde e socioassistenciais, atualmente acompanhando crianças, adolescentes e mulheres em situação de violação de direitos.

Nina Santiago

Formada em Artes Visuais pelo IFCE desde 2016, Nínive Santiago realiza trabalhos em crochê, técnica que aprendeu com sua avó há mais de quinze anos, e em outras vertentes da arte têxtil, como bordado e tricô. Suas criações utilizam vários estados da arte, do figurativo ao abstrato, formas bidimensionais e tridimensionais, como objeto escultórico ou instalação. Participou de várias exposições, sendo as mais importantes no 28° Salão de Abril – “Sequestrado” (2017) e no Sobrado José Lourenço, na coletiva “Pensamentos do Coração” (2017), sobre o artista cearense Leonilson. Paralelamente a esses trabalhos, a artista atua como DJ em festas e eventos particulares. Segundo ela, a música complementa seu processo criativo em vários aspectos, muitas vezes definindo cores e formas.

Joicy Gomes

Estudante de pedagogia, mãe de um menino de sete anos e fundadora do Coletivo Girls To The Front. O coletivo, que reúne 13 organizadoras, tem nome homônimo ao primeiro festival com a temática feminista na cidade, organizado por Joicy e com início em julho de 2017. Em abril de 2018 aconteceu a terceira edição do festival principal, pela primeira vez contando com bandas de fora do estado, como Oldcrastch e Räivä, de Maceió. Paralelo a produção dos festivais, o ano de 2018 também foi marcado pela produção de um documentário cujas gravações aconteceram durante o terceiro evento Girls To The Front. Assinado pela Dandré Filmes e produzido junto ao Coletivo, o curta buscou eternizar a efervescência feminista na capital. O pré-lançamento deu-se no X Festival Big Banda, em Salvador, a convite de produtoras do estado da Bahia.

Raisa Christina

Artista visual e escritora nascida em Quixadá. Seus trabalhos voltam-se para ilustração, arte urbana e ministra oficinas de desenho e produção textual. No Mestrado em Artes, pelo PPGArtes ICA-UFC, produziu desenhos partilhados com jovens skatistas e pesquisou a poética de seus mapas de percursos errantes na cidade de Fortaleza. Na graduação em Artes Visuais, pesquisou a relação entre cinema, narrativa e juventude no longa-metragem de ficção “Paranoid Park”. É autora dos livros “mensagens enviadas enquanto você estava desconectado”, publicado pela Editora Substânsia em 2014, e de “danza”, em coautoria com o artista argentino Nahuel Souto Martínez, pela Editora Nadifúndio, 2018. Integra a “Antologia de Contos Literatura Br”, publicada pela Editora Moinhos em 2016, a revista “Para mamíferos” N° 4, 2017, e a coletânea “As cidades e os desejos”, pelo Selo Editorial Aliás, 2018. Participou do Projeto UrbanoArte BR em 2017/2018.

Anauã Luamy

Começou sua atividade artística em 2014, no curso de fotografia de novos autores, na Fábrica de imagens, onde criou algumas obras expostas no Curta O Gênero 2015, sob a temática Cultura Feminista. Estudou fotografia no CUCA Barra, Fotografia de Still e fotografia básica na Escola Porto Iracema das Artes, oportunidade em que desenvolveu o ensaio Arisco, que participou do projeto Preamar Porto 2016.

Bianca Queiroz

É graduanda em Administração. Autodidata, pinta e desenha desde a infância. Apaixonada por arte e feminismo, se inspira na vivência e contato com mulheres para produzir arte, celebrando nela o corpo feminino em sua multiplicidade, texturas e cores. Em 2018 expôs pela primeira vez obras em aquarela na Casa Vândala, no evento OUSE Se Quiser, no lançamento do clipe “A Cura”, da banda OUSE.

Gabrielle Neara

É artista e ilustradora cearense que tem como ferramentas principais as técnicas de pintura aquarela, gouache, lápis de cor, ilustração digital e costuras com tecidos. Em suas pesquisas, se mantém sempre experimentando novas possibilidades de criar. Sua produção se concentra no meio editorial com ilustrações para literatura infantojuvenil, tendo títulos lançados por editoras nacionais e pela SEDUC. Os temas de sua produção independente costumam ser mulheres, dentro de uma perspectiva feminista, de autoconhecimento, cuidados e espiritualidades ancestrais, bem como natureza, onde fábulas, seres, fauna e flora permeiam entre o lúdico, o real e o etéreo. As superfícies trabalhadas costumam ser papéis, madeiras e tecidos que resultam em expressivas bonecas de pano.

Natércia Santana

Fotógrafa e design cearense formada em design gráfico, Natercia Santana é apaixonada pelo surreal e pela fotografia. Sua arte liga a seriedade do design e a liberdade da arte digital. Desde 2016 vem produzindo trabalhos independentes e estudando arte, composição, cores e história, sempre observando como coisas aparentemente separadas podem se unir e se transformar.

Serviço
O quê: Evento “Ouse Se Quiser”
Onde: Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema)
Quando: Dia 15 de março, sexta-feira, a partir das 16h
Gratuito

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Lucas Casemiro
Publicado em: 08 /03/2019