Espetáculos desenvolvidos nos Laboratórios do Porto Iracema são selecionados para mostra internacional

“Pra Frente O Pior”, foto de Éden Barbosa.

“Pra frente o pior”, de teatro, e “Fortaleza 2040”, de dança, são as primeiras obras cearenses escolhidas para a programação brasileira da Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, uma das mais importantes do País. Nesta edição, a bailarina e coreógrafa Andréia Pires, que está nas duas montagens, foi escolhida como artista homenageada

Dois espetáculos desenvolvidos no Porto Iracema das Artes foram selecionados para integrar a edição deste ano da Mostra Internacional de Teatro de São Paulo (MITsp), um dos eventos mais importantes da área no País. “Pra Frente O Pior”, da Inquieta Cia, foi concebido na edição 2015 do Laboratório Teatro e tem no elenco a bailarina e coreógrafa cearense Andréia Pires, escolhida como a artista em foco da programação brasileira da Mostra 2020. Na oportunidade, a artista apresentará também o espetáculo “Fortaleza 2040”, desenvolvido no Laboratório de Dança 2017. As obras cênicas são as primeiras do Ceará escolhidas para o evento.

A 7ª MITsp acontece de 5 a 15 de março na capital paulista. “Fortaleza 2040” será apresentado nos dias 11 e 12 de março, no Itaú Cultural, às 16h e 19h, respectivamente. Já “Pra Frente O Pior”, nos dias 13, às 21h , e 14 de março, às 20h, no Centro Cultural São Paulo. Além do público, os espetáculos selecionados serão apresentados para programadores de festivais nacionais e internacionais, consolidando um passo importante para a expansão do reconhecimento do teatro brasileiro no cenário internacional.

Espetáculos
Caminhando entre o teatro, a dança e a performance, “Pra Frente o Pior”, da Inquieta Cia, teve como dispositivo para a investigação cênica no Lab Teatro o tema “Um Corpo em Final de Festa”. A pesquisa extrapola o enunciado inicial para uma consequente desestabilização de um mundo sem qualquer esperança pelo que virá.

A montagem é fluxo de um processo criativo sem uma figura central na criação – ou seja, sem um encenador, diretor, dramaturgo ou coreógrafo. Os performers tecem a cena em uma dramaturgia sempre a ser negociada, em torno da busca de um grupo (coletivo, comunidade, tribo, sociedade) em aprofundar seu caminhar, permanecendo insistentemente nessa ação.

“Fortaleza 2040”, foto de Renato Mangolin

Já o espetáculo “Fortaleza 2040” aborda de que maneira o crime pode ser percebido como prática política discursiva, assegurado por regimes de poder/valor; e como o corpo, na produção de coreografia, intervém nessa construção, redimensionando-a. O elenco formado por Andréia Pires, Geane Albuquerque e Honório Félix discute formas de perceber a arte numa especificidade onde o corpo, como política e materialidade do sensível, não concorda com a norma ou com as imposições opressoras.

O espetáculo toma como ponto de partida o estudo da Constituição da República Federativa do Brasil, que implica diretamente as tensões éticas formadoras de regras de comportamento. Ativando a noção de “desobediência”, a proposta é investigar uma “Constituição Coreográfica Criminosa”, nome inicial do projeto, ensaiando reflexões sobre como essa dança explicita processos de dominação e não “naturaliza” relações hegemônicas, levando-nos a perceber o que se esconde para lá da superfície.

Confira as sinopses abaixo:

Pra Frente o Pior
Pessoas cavando seu próprio fim serão como pessoas cavando o fim. Passo a passo, um coletivo arranha um percurso adiante. Sempre adiante, desorientam pactos de convivência e, ainda assim, permanecem como grupo, comunidade, tribo, sociedade… Criar, lutar, adiante, sem esperança. Adiante sem acreditar. Adiante como imperativo ético. Um corpo que já não aguenta mais e se mantém, enfim. Adiante. Em fim.

Fortaleza 2040
Com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte Constituição Coreográfica Criminosa. Agradecemos a Deus pela onipotência, ao Forte Schoonenborch e a Nossa Senhora da Assunção pela majestade, ao Rio Pajeú pelas límpidas águas, aos militares e às armas nacionais pela justiça, à família brasileira e a Igreja pela paz mundial, à Iracema pela fama, ao Wagner pelas marchas e aos Faustos pelos projetos.

Sobre a Escola
O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço
O quê: 7ª Mostra Internacional de Teatro de São Paulo – MITsp
Quando: De 05 a 15 de março de 2020
Onde: São Paulo
Mais informações AQUI 

O quê: “Fortaleza 2040”
Quando: Dias 11 (16h) e 12 de março (19h)
Onde: Itaú Cultural – sala Multiuso (Av. Paulista, 149 – Bela Vista, SP)

O quê: “Pra Frente O Pior”
Quando: Dias 13 (21h) e 14 de março (20h)
Onde: Centro Cultural São Paulo – espaço cênico Ademar Guerra (Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, SP)

 

Comunicação  Porto Iracema das Artes | Lucas Casemiro

Publicado em 03/02/2020. Atualizada com as datas das apresentações em 04/02/2019.