Discussões sobre relações urbano-espaciais dão o tom da MOPI de Artes Visuais 2018

Apresentações das pesquisas acontecerão nos dias 10 e 11 de dezembro

Chega dezembro e o Porto Iracema das Artes apresenta mais uma edição da Mostra de Artes do Porto Iracema (MOPI), que neste ano chega à sua 6ª edição. Destaque na cena artística cultural da Cidade, as apresentações artísticas da MOPI englobam as mais variadas linguagens, como as das artes visuais.

Investigações em artes visuais perpassadas pela arquitetura dos sons, a relação entre jardim e cidade, as mutações de territórios urbanos e até aparições de disco-voadores na região de Quixadá estão entre as abordagens da área, que serão apresentadas na segunda semana do mês, nos dias 10 e 11 (segunda e terça-feira, respectivamente). Toda a programação, que acontece no Auditório da Escola, é gratuita e aberta a todos os interessados.

As produções são resultados dos percursos formativos de artes visuais e foram construídas durante o ano de 2018 no Porto, instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará gerida em parceria com o Instituto Dragão do Mar (IDM).

Conheça os projetos:

Manual de Identificação e Proteção de Objetos Voadores Não Identificáveis

Projeto Manual de Identificação e Proteção de Objetos Voadores Não Identificáveis, de Helenita Matos e Willian Ferreira

No dia 10 de dezembro, às 19h, no Auditório do Porto, o projeto “Manual de Identificação e Proteção de Objetos Voadores Não Identificáveis” abre a programação de artes visuais da MOPI.

Através da oralidade, do imaginário e do saber popular, o projeto desenvolvido pelos artistas Helenita Matos e Willian Ferreira evidencia narrativas ficcionais de aparições de disco-voadores e abduções relatadas pela população na região de Quixadá, no Sertão Central do Estado. A tutoria é do o artista visual Alexandre Sequeira.

Zona de Pressão

Projeto Zona de Pressão, de Tiago Alves e Roberto Borges.

Após a apresentação do “Manual de Identificação e Proteção de Objetos Voadores Não Identificáveis”, é a vez do projeto “Zona de Pressão”, desenvolvido por Tiago Alves e Roberto Borges. A apresentação da pesquisa também será no Auditório da Escola.

Numa abordagem que se aproxima da arquitetura sonora, o projeto sob tutoria do duo mineiro O Grivo propõe elaborar uma ativação sonora e percepção espacial em que o vento-fantasma possa invadir o ambiente proposto com sua presença instável, evidenciando e fazendo soar os materiais que delimitam o espaço “vazio”.

Vegetocracia e a exuberância dos dias comuns

Projeto Vegetocracia e a exuberância dos dias comuns, de Jared Domício e Vânia Marques

No segundo dia (11/12) destinado às apresentações dos projetos da MOPI Artes visuais, o projeto “Vegetocracia e a exuberância dos dias comuns” abre a programação, no Auditório da Escola, às 19h.

Com tutoria da crítica de arte e curadora Lisette Lagnado, Jared Domício e Vânia Marques elaboraram uma analogia entre jardim e cidade que propõe a coexistência de uma flora baldia (marginal) em jardins urbanos convencionais. A ação sugere um olhar sobre as possibilidades de convívio entre espécies no intuito de gerar ideias sobre diferentes formas de organização entre indivíduos. O processo é baseado nas experiências do jardineiro George Sinclair (início do séc. XIX).

Arqueologia de uma paisagem

Projeto Arqueologia de uma paisagem, de Mariana Smith.

Dando continuidade às apresentações da terça-feira, a artista Mariana Smith conversa sobre o projeto “Arqueologia de uma paisagem”, desenvolvido sob tutoria da curadora, pesquisadora e professora Ana Pato.

A pesquisa em processo busca olhar para as diferentes formas de abordar um território em transição. Um dos ambientes estudados é a região das Dunas da Sabiaguaba, última centelha da ancestralidade e da paisagem que havia antes da cidade de Fortaleza urbanizada.

SERVIÇO

O que: “Discussões sobre relações urbano-espaciais dão o tom da MOPI de Artes Visuais 2018”

Onde: Auditório do Porto (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema)

Quando: Dias 10 e 11 de dezembro, a partir das 19h

Gratuito e aberto ao público

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Glauber Sobral

Publicado em 04/12/2018