Dança em Foco 2017 acontece no Porto Iracema e no Dragão do Mar

O dança em foco — Festival Internacional de Vídeo & Dança, criado no Rio de Janeiro em 2003, chega a seu 15º ano com uma edição especial na cidade de Fortaleza, ocupando dois importantes espaços de cultura da cidade: o Porto Iracema das Artes (de 16 a 18 de agosto, como parte das atividades de celebração do aniversário de quatro anos da escola) e o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (de 11 a 31 de agosto, em parceria com a Mostra Videografias Performativas); além da exibição de sua MIV – Mostra Internacional de Videodança, o festival programa masterclasses e encontros com os convidados Alexandre Veras (Brasil), Andrés D. Abreu (Cuba), Brisa MP (Chile), Gilles Jobin (Suíça) e Ximena Monroy (México).

Mais do que um festival, o dança em foco configurou-se, desde sua criação, como um projeto que se multiplica em variadas ações, formatos e geografias, tematizando as diversas possibilidades estéticas que surgem do encontro entre a dança e as novas tecnologias, sobretudo da imagem: videodança, performances interativas, instalações coreográficas, espetáculos multimídia e tudo aquilo que, num sentido mais largo, problematize o corpo e a imagem.

Nesse cenário, no entanto, ao longo de seus quinze anos, foi mesmo a videodança que se estabeleceu como lugar privilegiado para proposições poéticas da interface corpo/imagem/movimento. Sua MIV recebeu centenas de obras de todo o mundo, circulou por quase todos os estados brasileiros e tornou-se uma plataforma de referência para a exibição da crescente produção nacional. Assim, é em torno da videodança que se estrutura este dança em foco em Fortaleza.

Depois de anos de parceria com eventos locais como a Bienal de Dança do Ceará, o festival realiza, pela
primeira vez, uma edição com sua própria assinatura na capital cearense. Especialmente no cenário político-cultural em que vivemos hoje, os processos e as ações colaborativas ganham uma importância estratégica fundamental: assim é que o dança em foco só se tornou possível, em 2017, graças à colaboração entre diversos eventos e instituições como o Porto Iracema das Artes, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, o Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA/UFC), a SecultArte/UFC, o projeto Midiadança: o Laboratório de Dança e Multimídia da UFC; a Vila das Artes (Secultfor); a Pro Helvetia (Suíça) e a REDIV – Rede Ibero-Americana de Festivais Internacionais de Videodança. Além das obras mostradas no Porto Iracema e no Dragão do Mar, parte da mostra também é exibida por todo o território nacional, por meio de uma parceria com o Canal Curta!.


ATIVIDADES
1. MIV – Mostra Internacional de Videodança
– PORTO IRACEMA – 16 a 18 de agosto – das 14h às 21h30
– DRAGÃO DO MAR – 11 a 31 de agosto – das 14h às 22h
A Mostra Internacional de Videodança, reconhecida como uma das maiores do mundo no gênero e
principal eixo do festival, exibe ao longo de 21 dias as obras selecionadas a partir de sua convocatória
internacional anual, e programas on tour oriundos de parcerias com diversos festivais internacionais,
incluindo os que fazem parte da REDIV – Rede Ibero-Americana de Festivais Internacionais de Videodança.
Complementam a Mostra os vídeos realizados por alunos dos cursos de dança da UFC, e ainda os vídeos
produzidos no Curso de Vídeo-Dança da Vila das Artes, exibidos em janela dedicada à produção
universitária. Será ainda apresentada uma retrospectiva do convidado internacional, Gilles Jobin, com
exibição de importantes filmes de sua carreira em uma tela exclusiva no Centro Dragão do Mar de Arte e
Cultura e em encontro com o artista no Porto Iracema das Artes.
Neste ano, serão apresentadas mais de 35 horas de obras inéditas de videodança, distribuídas ao longo de
408 horas pelas cinco telas dos espaços de exibição do festival.

2. ENCONTROS COM ARTISTAS E DIRETORES DE FESTIVAIS
I – Apresentação dos vídeos criados no Curso de Vídeo-Dança da Vila das Artes, com Alexandre Veras
– PORTO IRACEMA – 16 de agosto – às 19h
Com duração de cinco meses, em 2016, o curso contou com vários módulos como Análise de obras,
Composição I, Composição II, Corpo câmera I, Corpo câmera II, Elaboração de projeto, Introdução à
linguagem audiovisual, Laboratório I, Laboratório II, Produção, Som, Técnica de montagem aplicada ao
videodança. Para ministrar os módulos e orientar os projetos o curso contou com a participação de
professores do estado do Ceará, de outros estados do Brasil e do exterior, entre eles: Alexandre Veras,
Simon Fildes (Escócia), Silvina Szperling (Argentina), Felipe Ribeiro (Brasil), João Maria (Brasil), Fred
Benevides (Brasil), Leonel Brum (Brasil), entre outros.

II – Sessão especial do Filme 3D WOMB, de Gilles Jobin, com a presença do artista
– PORTO IRACEMA – 17 de agosto – às 19h
WOMB é um filme sobre movimento, um objeto cinematográfico imersivo concebido para a tecnologia
3D. Três personagens, incluindo o próprio diretor, emergem de um útero para descobrir o volume do
mundo. Sempre avançando, como uma analogia abstrata do desdobramento da vida, eles passam, por
meio de longos planos sequência, de um estágio para outro. O projeto de iluminação criado por Sylvie
Fleury e a composição de Franz Treichler (líder da internacionalmente reconhecida banda de rock The
Young Gods) se combinam com as complexas texturas dos figurinos de Jean-Paul Lespagnard e a
coreografia de Gilles Jobin para criar um diálogo incomum no espaço 3D. Artistas e cenários,
estereoscopia e coreografia, artes visuais e música combinam-se e propiciam uma primorosa experiência
estereoscópica para o espectador.

III – REDIV – Rede Ibero-Americana De Festivais Internacionais De Videodança
– PORTO IRACEMA – 18 de agosto – às 19h
Diretores de festivais da Rede presentes ao festival apresentarão uma mostra comentada de vídeos de
seus respectivos países, além de contextualizarem a Rede Ibero-Americana de Festivais Internacionais de
Videodança, seus conceitos e ações. Presentes no encontro estarão Andrés D. Abreu, do Festival DVDanza
Habana (Cuba); Brisa MP, do FIVC – Festival Internacional de Videodanza de Chile; Ximena Monroy, do
Festival Agite y Sirva (México); Paulo Caldas, Leonel Brum e Regina Levy, dança em foco (Brasil).

3. MASTERCLASSES DANÇA E MULTIMÍDIA
**Participação por ordem de chegada, até meia-hora antes do início, num total de 20 vagas.
Requisitos aos participantes: câmera de vídeo, ou de celular, e equipamento com programa de edição.

I – Cena Digital – Dancecode, com Brisa MP (Chile)
– PORTO IRACEMA – 16 de agosto – das 14h30 às 17h30
Laboratório que trata de experimentar dispositivos, mídias e metodologias operadas por artistas que
trabalham no cruzamento das artes cênicas e tecnologia. Serão utilizadas imagens, som, texto e
movimento do corpo em co-criação com o computador. Trata-se de experiência que permitirá ampliar as
reflexões e as mídias em torno do eixo corpo e tecnologia.

II – Laboratório de Videodança, com Ximena Monroy (México)
– PORTO IRACEMA – 17 de agosto – das 14h30 às 17h30
Laboratório teórico-prático de criação por meio do qual serão apresentadas aos participantes as principais
definições e abordagens conceituais a videodança assim como a gramática e os elementos composicionais
desse campo, com apoio da visualização de obras históricas e contemporâneas. Serão exploradas a
incorporação da câmera e o pensamento coreográfico em diferentes exercícios a partir de proposições
que investiguem o corpo-câmera e o corpo-performer como memória, escuta, presença, espaço, ação e
relação. Serão investigadas diferentes abordagens do movimento na tela em ressonância com as
possiblidades de dança in situ.

III – Dança em 3D, com Gilles Jobin
– PORTO IRACEMA – 18 de agosto – das 14h30 às 17h30
Nesta masterclass, o artista apresentará diversos elementos do processo de criação de seu atual projeto
intitulado VR_I, uma peça em realidade virtual que ele está desenvolvendo com bailarinos europeus. Jobin
apresentará também o contexto de criação de seu filme 3D intitulado WOMB. Também serão
desenvolvidas algumas atividades práticas.

4. ENCONTRO DA REDIV
– PORTO IRACEMA – 16 a 18 de agosto (reuniões fechadas)
Além de todas essas atividades abertas ao público, será realizado o II Encontro da REDIV – Rede Iberoamericana
de Festivais Internacionais de Videodança, com a participação de diretores de festivais de
diversos países latino-americanos, organizado em colaboração com outros festivais da Rede, e com apoio
do Pro Helvetia, uma instituição suíça que oferece suporte a iniciativas realizadas nos países do eixo sul.


PROGRAMAÇÃO DANÇA EM FOCO 2017- FORTALEZA
PORTO IRACEMA DAS ARTES
16 A 18 DE AGOSTO
Endereço: Rua Dragão do Mar, 160 – Centro
· 16 de agosto
– Manhã Horário: 9h às 12h

1º DIA

Reunião REDIV (interna)
– Tarde Horário: 14h30 às 17h30
Masterclass Dança e Multimídia – Cena Digital – Dancecode – com Brisa MP (Chile)
– Tarde/Noite Horário: 14h às 21h30
MIV – Mostra Internacional de Videodança (aberta ao público)
– Noite Horário: 19h às 21h30
Alexandre Veras apresenta obras produzidas no Curso de Vídeo-Dança, realizado pela Vila das Artes.
· 17 de agosto
– Manhã Horário: 9h às 12h

2º DIA

Reunião REDIV (interna)
– Tarde Horário: 14h30 às 17h30
Masterclass Dança e Multimídia – Ximena Monroy (México) – Laboratório de Videodança
– Tarde/Noite Horário: 14h às 21h30
MIV – Mostra Internacional de Videodança (aberta ao público)
– Noite Horário: 19h às 21h30
Gilles Jobin exibe o filme 3D WOMB e comenta a retrospectiva de sua obra
· 18 de agosto
– Manhã Horário: 9h às 12h

3º DIA

Reunião REDIV (interna)
– Tarde Horário: 14h30 às 17h30
Masterclass Dança e Multimídia – Dança em 3D – com Gilles Jobin
– Tarde/Noite Horário: 14h às 21h30
MIV – Mostra Internacional de Videodança (aberta ao público)
– Noite Horário: 19h às 21h30
REDIV – Apresentação dos festivais (aberta ao público)
CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA
11 A 31 DE AGOSTO
Endereço: Rua Dragão do Mar, 81 – Centro
– Tarde e Noite Horário: 14h às 22h
MIV – Mostra Internacional de Videodança (aberta ao público)
Local: Multigaleria do Dragão do Mar
—————————————————————————–
CONVIDADOS

Alexandre Veras (Brasil)
Alexandre Veras tem desenvolvido trabalhos com instalações, videodança, videoarte, documentário e
ficção desde 2000. Foi um dos fundadores do Alpendre (Fortaleza). Atua como professor, pesquisador,
curador de audiovisual e artes visuais, gestor e coordenador de ações culturais ligadas à arte
contemporânea e à formação.

Andrés D. Abreu (Cuba)
Andrés D. Abreu é co-diretor artístico e curador do Festival DVDanza Habana, Movimiento y Ciudad, desde
2013 e co-diretor do projeto D&T Proyecciones, plataforma dedicada a difundir e realizar ações de Dança
e Tecnología. Formado em Realização e Percepção em Mídias Audiovisuais e em Jornalismo, também atua
nas áreas de coreografia, critica e curadoria.

Brisa MP (Chile)
Artista transmídia, curadora e produtora, diretora do Festival Internacional de Videodanza Chile – FIVC e
INTERFACE Arte, Corpo, Ciência e Tecnologia. Brisa MP investiga as relações corpo, ciência e tecnologia.
Mestre em Tecnologia e Estética das Artes Eletrônicas e pós-graduada em Cultura Visual UB. Vive e
trabalha no Chile e Espanha desenvolvendo seus trabalhos de criação, projetos de curadoria e publicações.

Gilles Jobin (Suíça)
Gilles Jobin é um dos coreógrafos mais reconhecidos da cena contemporânea Suíça, ganhador do Grand
Prix de Suisse de Danse 2015. Sua orientação radical artística e reconhecimento internacional fazem dele
um dos precursores de uma nova geração de coreógrafos europeus. Tem 20 anos de criações cênicas,
filmes e, recentemente, iniciou seus trabalhos com tecnologias 3D e realidade virtual.

Ximena Monroy (México)
Ximena Monroy é videomaker, bailarina, gestora e curadora. Fundou e dirige, desde 2008, o Agite y Sirva –
Festival Itinerante de Videodanza, no México. Formada em Ciências da Comunicação, atualmente cursa
mestrado em História da Arte com uma tese sobre a teoria da videodança. Co-dirige a publicação “La
Creación Híbrida en Videodanza”.

DIRETORES DO dança em foco 

O coreógrafo Paulo Caldas tem sua produção artística marcada pela aproximação entre dança e audiovisual. Sua obra inclui espetáculos, instalações videográficas e videodanças. Idealizador e codiretor do dança em foco, foi professor dos cursos de graduação em dança da UniverCidade (2007-2010) e da Faculdade Angel Vianna (1995/2010), onde coordenou o curso de pós-graduação “Estéticas do Movimento: Estudos em Dança, Videodança e Multimídia”. Bacharel em Filosofia, é mestre e doutor em Educação. Foi coordenador do Programa de Dança do Porto Iracema das Artes — Escola de Formação e Criação (Instituto Dragão do Mar / Secult CE). Desde 2011, é professor dos cursos de Dança da UFC.

Leonel Brum é doutor em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente desenvolve pesquisa pós-doutoral pela Universidade de Lisboa (ULisboa) sobre curadoria dos festivais membros da REDIV – Rede Ibero-americana de Videodança. É professor e excoordenador dos cursos de dança do ICA/UFC. É coordenador do Midiadança: laboratório de dança e multimídia (ICA/UFC). Brum é um dos diretores fundadores do dança em foco e PODFest – Festival Internacional de Poéticas Digitais. Foi coordenador de dança da Fundação Nacional de Artes (Funarte), atuando também nas relações internacionais das áreas de dança, teatro e circo. Tem artigos e livros publicados sobre dança, história da dança e videodança.

O produtor brasileiro, artista visual e curador Eduardo Bonito estudou em Artes Cênicas e Relações Públicas da Universidade de São Paulo, Brasil, e Performance na Universidade de Middlesex, Inglaterra. É produtor profissional desde 1990, foi diretor de projetos na Artsadmin (Londres) de 1997 a 2001, esteve envolvido com o Panorama Festival (Rio de Janeiro) desde 2004, e atuou como seu diretor artístico de 2006 a 2012. Desde 2005, ocupa o cargo de diretor artístico do dança em foco. Em 2013 co-fundou a Casa Nuvem e outros projetos no Rio de Janeiro, trabalhando com contracultura, arte e ativismo. Fundador e participante de várias redes nacionais e internacionais, é frequentemente convidado para consultorias, palestras e oficinas de formação nas áreas de curadoria, produção artística e desenvolvimento estratégico em artes performativas no Brasil e no exterior.

Regina Levy é co-criadora e Diretora Executiva de Produção do dança em foco desde sua criação. Profissional há 30 anos no mercado cultural, participou produzindo os Festivais: Dança Criança, Panorama de Dança, Rio Cello Encounter, Festival do Rio de Cinema, PODfest – Festival Internacional de Poéticas Digitais; e também cias de dança cariocas; projetos de artes cênicas e artes plásticas em intervenções urbanas nacionais e internacionais. Produziu 7 livros de arte ligados a projetos. Curadora da Mostra Funarte de Dança e Teatro/Mambembão; avaliadora do Festival Internacional do Recife, em 2012; júri do Prêmio Funarte de Dança em 2013; parecerista na Comissão de Classificação no Edital “Ações Locais/RJ 2016”. Formada em Publicidade, RP, e pós-graduada em MKT, desde 2005 ministra cursos livres de produção em instituições privadas e governamentais, em vários Estados e em 2015 foi selecionada pelo edital “Viva o Talento” da SMCRJ.