Criadora da banda cearense Banana Scrait, Andrea Agda relembra experiência do projeto “Jangada Electra” em Entre Telas Música

Em sua terceira edição, a live relembra o projeto desenvolvido na primeira edição do Lab Música, em 2013

“Revisitando a Jangada Electra” é o tema do próximo Entre Telas Música, do Porto Iracema das Artes, que tem como convidada a cantora, compositora e guitarrista Andrea Agda. Além de revisitar a experiência do projeto de mesmo nome, a artista também abordará sua trajetória artística na conversa. A live acontece na terça-feira (11), no perfil do Instagram do Porto, a partir das 16h.

O projeto Jangada Electra integrou a primeira edição do Laboratório de Música do Porto (2013), com a banda cearense Banana Scrait, e se debruçou na obra do maestro cearense Alberto Nepomuceno. Também se reconhecendo como duo, a “Jangada” tem autoria dividida com Daniel Arruda. Os dois artistas buscavam um resgate do legado do maestro para a contemporaneidade, mixando-o com outros gêneros. Mona Gadelha, coordenadora do Lab Música do Porto Iracema, estará na mediação da conversa.

A ação integra a programação “Sete Mares do Porto”, que celebra o aniversário da Escola durante todo o mês de agosto, quando completará 7 anos no dia 29. Também ocorre um dia após a primeira mesa-redonda do evento que também homenageia o maestro cearense, o III SIRIM – Simpósio de Regência e Interpretação Musical “Alberto Nepomuceno em foco”, parceria do Porto Iracema com o Grupo de Pesquisa IRIM – Uece/CNPQ e estudiosos do País.

O Entre Telas é uma ação online da Escola Porto Iracema das Artes para o período de isolamento social, buscando discutir a produção artística em diferentes linguagens e a partir de diferentes contextos. Em sua primeira live com foco na música, a convidada foi a cantora, atriz e compositora Marta Aurélia em um bate-papo sobre voz, corpo e processos criativos.

Sobre o projeto Jangada Electra

Ao lado de Daniel Arruda, o projeto “Jangada Electra” mergulhou na obra de Alberto Nepomuceno com a proposta de homenagear o maestro, estabelecendo uma ponte entre sua obra e a contemporaneidade, inserindo-o em um universo de infinitas possibilidades sonoras. Com arranjos em referências do universo pop, folk e indie, foi lançado em disco em 2015, com o título Giostra (carrossel em italiano). Misturava elementos da música clássica e do rock com pitadas de psicodelia, quatro canções – parcerias memoráveis de Alberto Nepomuceno ao lado de Machado de Assis, Juvenal Galeno e Osório Duque Estrada.

Sobre a banda Banana Scrait

O duo Banana Scrait nasceu em meados da década de 1990, em Fortaleza, fruto do encontro entre a guitarrista Andrea Agda e o saxofonista Daniel Arruda. Nos últimos três anos lançou o álbum Voo, de composições próprias e o álbum Giostra, com canções rearranjadas do maestro cearense Alberto Nepomuceno, além de canções do Banana Scrait. O som tem a simplicidade das harmonias do rock, melodias marcantes e arranjos elaborados com delicadeza, utilizando, para isso, instrumentos com sonoridade peculiar como clarinete, saxofone tenor, trombone, sintetizadores e vibrafone. Pode-se considerar o Banana Scrait como uma banda brasileira contemporânea indie-folk-pop. Mas isso não encerra a possibilidade de se desvendar outras camadas trançadas no universo sonoro da banda. Ao ouvir músicas como Nina Walks ou Suite Butterflies você poderá até concordar em adicionar o clássico como outro gênero pertencente ao universo da banda. E, se ouvir a valsa Giostra, não será surpresa se adicionar o jazz, afinal, qualquer classificação depende principalmente das referências do ouvinte.

Sobre Mona Gadelha

É cantora, compositora, jornalista, pesquisadora, produtora. Lançou sete discos, tem músicas gravadas por Ednardo, Karla Karenina, Amanda Acosta e Eliana Printes e realizou inúmeros shows pelo Brasil. Foi palestrante do WOMEX 2003, em Sevilha, ES, é autora dos perfis biográficos de José de Alencar e Petrúcio Maia (Coleção Terra Bárbara,da Editora Dummar) e é citada no ABZ do Rock Brasileiro (de Marcelo Dolabela) como um dos nomes pioneiros da cena rock e blues do nordeste. Formada em Comunicação Social pela UFC, fez especialização em Globalização e Cultura pela Fundação Escola de Sociologia de São Paulo. É mestra em Comunicação na UFC, com pesquisa sobre performance e transgressão em Fortaleza nos anos 1970.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O que: Criadora da banda cearense Banana Scrait, Andrea Agda relembra experiência do projeto “Jangada Electra” em Entre Telas Música
Quando: Terça-feira (11), às 16h
Onde acessar: Perfil do Instagram do Porto Iracema das Artes

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Pedro Victor Lacerda

Publicado em 05/08/2020