Coordenação do Laboratório de Teatro do Porto Iracema das Artes esclarece regulamento 2019

Andrei Bessa, coordenador do Laboratório de Teatro do Porto, e Luiz Otávio Queiroz, assistente de coordenação dos labs Teatro e Dança. Foto: Té Pinheiro

Encontro iniciou a série de tira-dúvidas dos Laboratórios de Criação 2019

Na noite desta segunda-feira (12), o coordenador do Laboratório de Teatro do Porto Iracema das Artes, Andrei Besssa, conduziu o Tira-Dúvidas sobre o regulamento da linguagem no processo seletivo deste ano. O encontro aconteceu no auditório da Escola e contou com artistas e interessados na área, além da presença de outras coordenações dos labs.

Andrei iniciou a sessão apresentando o percurso formativo dos Laboratórios de Criação, que inclui tutorias com artistas e pesquisadores reconhecidos nacionalmente, oficinas, aulas abertas à cidade e aberturas de processos, como as chamadas Rotas de Criação, que consistem numa apresentação pública dos trabalhos um pouco antes da finalização dos projetos, em dezembro.

DIÁLOGOS E MUDANÇAS
Antes de discutir os principais pontos do regulamento de Teatro, Bessa lembrou que a atualização das regras de participação e seleção dos projetos partiu de diversas discussões e avaliações, internas e externas, realizadas nas últimas seis edições dos Labs. Ao final dos projetos, os artistas se reúnem com as coordenações de cada linguagem e fazem uma avaliação conjunta da experiência, com críticas e sugestões ao processo. Os tutores também fazem avaliações sobre os projetos que orientaram e o laboratório em geral.

Além disso, no dia 21 de junho de 2018, a Escola Porto Iracema das Artes fez uma convocatória dos artistas das cinco linguagens, tanto os que haviam sido contemplados nos Labs quanto aqueles que não, para avaliar não só o regulamento daquele ano como os laboratórios em si. O encontro, também realizado no auditório da Escola, contou com a presença de todas as coordenações e da diretoria do Porto. Além das sugestões apresentadas ali, foram realizados encontros setoriais durante o mês de julho do ano passado, para aprofundamento das escutas.

Foto: Té Pinheiro

Nessas oportunidades surgiram algumas das sugestões de mudanças inseridas na edição 2019 dos Laboratórios de Criação, ressaltou Andrei. Entre elas, a necessidade de um regulamento por linguagem artística, a exclusão do critério “Singularidade” (Originalidade) e o estabelecimento de pesos diferentes para os critérios, que antes tinham sempre a mesma porcentagem e agora privilegiam a qualidade do projeto apresentado e menos os currículos dos proponentes. Outra alteração comum a todos os regulamentos surgiu da própria Escola. Na edição deste ano, foi inserida uma bonificação de cinco pontos na segunda etapa de seleção para projetos de artistas residentes do interior do Estado.

As duas alterações específicas dos Labs de Teatro e de Dança também foram apresentadas às cerca de dez pessoas que estiveram presentes no tira-dúvidas desta segunda. Um segundo bônus, também de cinco pontos, que será concedido aos projetos de artistas proponentes que apresentem experiência de, pelo menos, quatro anos continuados na concepção de pesquisa e criação artística. E um terceiro, de dois pontos, o chamado bônus de trabalho conjunto, que será dado aos projetos cujos artistas (proponente e colaboradores) já tenham uma trajetória de parceria na linguagem. Neste caso, não há tempo mínimo exigido para considerar a parceria, explicou o coordenador.

Foto: Té Pinheiro

DÚVIDAS
Bessa lembrou ainda que não há obrigatoriedade no cumprimento dessas condições para submissão de projetos. Portanto, qualquer artista com mais de 18 anos, residente no Ceará há pelo menos dois, que queira submeter sua pesquisa em criação teatral, pode concorrer a uma das quatro vagas dos Lab Teatro.

Outra questão que surgiu na reunião se referiu à ajuda de custo de R$ 800 oferecida pela Escola para o desenvolvimento dos projetos. Como consta no regulamento, o valor é pago ao artista proponente e a até outros dois artistas colaboradores do projeto, independentemente do número de pessoas que possam compor o coletivo que assinará o trabalho. Além disso, afirmou o coordenador, os dois artistas-colaboradores não são item obrigatório. Eles podem ser apontados já no preenchimento do formulário de inscrição ou mesmo no decorrer dos sete meses de Laboratórios.

Mais uma dúvida sanada dizia respeito à bonificação de trabalho continuado. Apesar dos quatro anos de exigência mínima de trajetória como artista criador, isso não se traduz em número de estreias. Se o artista realizou pesquisas e outras ações continuadas nesse período, ele pode preencher esse item no formulário e requerer a bonificação.

INSCRIÇÕES
Fechando a noite, a coordenação do Laboratório de Teatro apresentou detalhadamente o site da escola Porto Iracema das Artes e o formulário de inscrição da linguagem, chamando atenção dos participantes para a necessidade de envio de documentos atualizados e legíveis, por exemplo o comprovante de residência. Outro conselho dado aos postulantes do Laboratório de Teatro é que não deixem para a última hora o preenchimento do formulário de inscrição e o envio dos anexos requeridos.

SERVIÇO
As inscrições seguem abertas até 23h59min do dia 31 de março, exclusivamente, pelo site do Porto Iracema das Artes. Clique AQUI.

Para outras dúvidas, os artistas interessados no Laboratório de Teatro podem recorrer ao e-mail: assistente.cenicas@gmail.com

Confira o regulamento do Laboratório de Teatro AQUI.