Com roteiro desenvolvido no Lab Cinema do Porto Iracema, Inferninho estreia no Brasil nesta quinta-feira

Filme aborda o amor e as relações não convencionais numa sociedade conservadora

O filme cearense “Inferninho”, de Guto Parente e Pedro Diógenes, estará em breve nas telas dos cinemas nacionais. O longa-metragem começou a ser desenvolvido dentro do Laboratório de Audiovisual do Porto Iracema das Artes e desde então ganhou o mundo: “Inferninho” teve estreia mundial no Festival de Rotterdam, na Holanda, em 2018, e já foi exibido em mais de dez países. Agora, o filme vai estrear nacionalmente no dia 23 de maio, com sessão de estreia no Cinema do Dragão, às 20h.

A tragicomédia “Inferninho” é inspirada nos melodramas das pessoas que não se enquadram nos padrões da sociedade. A dona do bar Inferninho, Deusimar (Yuri Yamamoto), sonha em ir embora para um lugar distante, até conhecer Jarbas (Démick Lopes), um marinheiro que acaba de chegar e que quer fincar raízes. O amor vivenciado pelos dois transforma o cotidiano do bar e dos seus funcionários: Luizianne (Samya de Lavor), a cantora; Coelho (Rafael Martins), o garçom; e Caixa-Preta (Tatiana Amorim), a faxineira.

Na trama, o lugar onde se passa a história é quase um personagem. “Trabalhar esse espaço foi dos grandes desafios do processo, pois é um filme que se passa todo na mesma na locação. E esse cenário único tinha que transmitir o clima e a atmosfera que pretendíamos construir. O espaço sempre foi pensando como um lugar de refúgio e como um prolongamento dos seus personagens. O bar tem muito da personalidade da Deusimar, assim como o palco carrega um pouco da Luiziane”, revela Pedro Diógenes, diretor do filme.

“Inferninho”, que a princípio era uma série de TV, é fruto do encontro de dois grupos artísticos de Fortaleza, Bagaceira de Teatro e Alumbramento Filmes, que trabalharam juntos na primeira edição do Lab Cinema do Porto Iracema. Os atores participaram criativamente do processo desde a elaboração do roteiro e foram fundamentais na construção das personagens, que são o foco do longa. Guto Parente, que também assina a direção, conta que os coletivos, num processo de inquietação, “construíram juntos o Inferninho para falar do amor e da fantasia, como possibilidades de resistência dentro de um contexto atual onde direitos básicos são negados, as minorias são rechaçadas e o moralismo se torna cada vez mais dominante”.

O longa já passou por diversos festivais de cinema brasileiros e mundiais, circulando por diversos festivais na Argentina, Uruguai, Espanha, Alemanha, Portugal, entre outros, conquistando reconhecimento e premiações. Em Portugal, levou o prêmio de Melhor Filme no Festival Queer Lisboa. No Brasil, entre outras premiações, conquistou o grande vencedor da XI edição do Janela Internacional de Cinema do Recife, com os prêmios de Melhor Filme e Melhor Imagem, do Júri Oficial, e de Melhor Filme, do Júri da Crítica.

O filme tem distribuição da Embauba Filmes e os recursos vieram do Edital de Cinema da Secretaria da Cultura do Estado do Ceara, que contou com aporte da Ancine/FSA por meio dos arranjos regionais.

Sobre os diretores
Guto Parente e Pedro Diógenes trabalham juntos desde o início de suas carreiras. Inferninho é o quarto longa-metragem que eles dirigem juntos, mas o primeiro como dupla, já que os outros três foram dirigidos também por Luiz e Ricardo Pretti, em uma formação de quarteto – Estrada para Ythaca (2010), Os Monstros (2011) e No Lugar Errado (2011). Guto dirigiu sozinho ou em outras parcerias de direção os filmes Doce Amianto (2013), A Misteriosa Morte de Pérola (2014), e O Estranho Caso de Ezequiel (2016) e O Clube dos Canibais (2018); e Pedro os filmes Com os Punhos Cerrados (2014) e O Último Trago (2016). Seus filmes foram exibidos em importantes festivais de cinema como Locarno, Roterdã, AFI, FidMarseille, Viennale, entre outros.

Sinopse
Deusimar é a dona do Inferninho, bar que é um refúgio de sonhos e fantasias. Ela quer deixar tudo para trás e ir embora, para um lugar distante. Jarbas, o marinheiro que acaba de chegar, sonha em ancorar e fincar raízes. O amor que nasce entre os dois vai transformar por completo o cotidiano do bar.

Ficha Técnica
Direção: Guto Parente e Pedro Diógenes; Idéia Inicial: Grupo Bagaceira; Argumento: Guto Parente, Pedro Diógenes e Rafael Martins; Roteiro: Guto Parente e Pedro Diógenes; Criação de Universo e Personagens: Rafael Martins; Direção de Fotografia: Victor de Melo; Direção de Arte: Tais Augusto; Som: Lucas Coelho; Figurino: Isac Bento e Filipe Arara; Montagem: Victor Costa Lopes; Trilha Sonora: Vitor Colares e Felipe Lima; Direção de Produção: Clara Bastos e Rogério Mesquita; Produção Executiva: Amanda Pontes e Carol Louise.

Serviço
O quê: Sessão de estreia do filme Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diógenes
Quando: Quinta-feira, dia 23 de maio, às 20h
Onde: Cinema do Dragão (R. Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
R$ 14,00/ 7,00 – inteira/meia entrada

 

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Lucas Casemiro

Publicado em 20/05/2019