Com ex-coordenadores e alunos do CTD, nova edição do Afluentes reflete sobre história na dança

O primeiro encontro acontecerá no dia 10 de junho e trará importantes nomes da Dança cearense para falar sobre a trajetória do Curso Técnico em Dança no contexto formativo local.

Em comemoração aos 15 anos do Curso Técnico de Dança (CTD), o Porto Iracema das Artes promoverá, no mês de junho, encontros online com coordenadores e alunos que passaram pela formação. A primeira rodada de conversas acontecerá na próxima quarta-feira (10), a partir das 15h, no canal do YouTube e no Facebook da Escola.

Neste primeiro momento, a mesa redonda terá participação dos ex-coordenadores do Curso, Andréa Bardawil e Ernesto Gadelha e dos ex-alunos Elane Fonseca e Éder Soares, que integraram a primeira e a terceira turma, respectivamente. Além de seus processos formativos, os artistas também comentarão suas trajetórias, desdobramentos e produções atuais. Quem media o debate é o também ex-coordenador, Paulo Caldas.

Os bate-papos integram a programação do Afluentes, série de lives realizadas pela Escola com o intuito de reunir professores, tutores, alunos e artistas que participaram das diferentes esferas formativas da Escola. O próximo Afluentes sobre o CTD será no dia 24 de junho, com os ex-coordenadores Flávio Sampaio e Cláudia Pires, sob mediação de Ernesto Gadelha, além de ex-alunos.

Sobre Andréa Bardawil

Coreógrafa, professora de dança e arteterapeuta, trabalha com a Companhia da Arte Andanças há 30 anos, com a qual desenvolve espetáculos e projetos colaborativos, experimentando a interface da dança com outras linguagens, e dedica-se a sistematizar uma abordagem em dança estruturada em duas vertentes, a artística e a terapêutica, denominada “A construção poética do visível”.

Sobre Ernesto Gadelha

Diplomado em Pedagogia da Dança pelo Instituto de Danças Cênicas de Colônia, graduado em Licenciatura em Dança pela Universidade Federal do Ceará, pós-graduado em Dança Contemporânea pela Folkwang Universität der Künste e mestrando em Educação pela FACED-UFC. Artista e professor com trajetória internacional, Ernesto Gadelha vem atuando ainda como curador, coordenador pedagógico e gestor em instituições de formação e difusão em dança.

Sobre Paulo Caldas

Tem sua produção artística marcada pela aproximação entre dança e audiovisual. Sua obra inclui espetáculos, instalações videográficas e videodanças. Idealizador e codiretor do dança em foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança, foi professor dos cursos de graduação em dança da UniverCidade (2007-2010) e da Faculdade Angel Vianna (1995/2010), onde coordenou o curso de pós-graduação “Estéticas do Movimento: Estudos em Dança, Videodança e Multimídia”. Bacharel em Filosofia, é mestre e doutor em Educação. Foi coordenador do Programa de Dança do Porto Iracema das Artes — Escola de Formação e Criação (Instituto Dragão do Mar / Secult CE). Atualmente, é professor dos cursos de Dança da UFC.

Sobre Elane Fonseca

Elane Fonseca dançarina, professora e criadora em dança. Iniciou sua formação artística na Escola de dança e integração social para crianças e adolescentes – EDISCA, onde atuou como dançarina e professora. Formou-se na primeira turma do Curso técnico em dança (IACC/SENAC/SECULT-CE) e é licenciada em Dança pela Universidade Federal do Ceará – UFC. Atualmente é mestranda em Ciências da educação pela Universidade do Porto e atua como professora de dança.

Sobre Éder Soares

Nascido em uma família de forrozeiros, Éder Soares carrega um legado cultural familiar no forró. Se percebeu dançando pela primeira vez aos seis anos de idade em uma festa de sua família. Ingressou na capoeira em 1997 e em 1999 iniciou suas aulas de danças rito-sociais, sendo reconhecido dançarino profissional em 2003 na Cia de Dança Salvador e em 2004, professor na Escola de Dança Alex Amorim. Formado pelo Curso Técnico em Dança do Ceará e cursa bacharelado em dança na UFC. Em 2008 funda a Omì Cia de Dança onde dirigiu os espetáculos “Fidelidade da dor”, “O mais profundo é a pele”, “Projeto Marê” e “Ibirapema, o forró que eu faltei”. Atualmente, continua desenvolvendo o Método Omì com a Cia e dá aulas na Omì Ateliê de Dança em Fortaleza, além de viajar ministrando cursos por todo Brasil.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O quê: Com ex-coordenadores e alunos do CTD, nova edição do Afluentes reflete sobre história na dança
Quando: 10 de junho, a partir das 15h
Onde assistir:  YouTube e Facebook da Escola Porto Iracema das Artes

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Rafaela Leite

Publicado em 05/06/2020