Cineclube Âncora realiza sessão em comemoração ao Dia da África

“A viagem da Hiena”

Serão exibidos “A viagem da hiena” (1973) e “Mil sóis” (2013), duas produções realizadas por tio e sobrinha, num intervalo de 40 anos, com o mesmo protagonista em ambos os filmes

No dia 25 de maio é celebrado o Dia Mundial da África. Em comemoração à data, a próxima sessão do Cineclube Âncora, que acontecerá no dia 16, exibirá duas produções sobre o tema realizadas com 40 anos de diferença, por tio e sobrinha, com o mesmo protagonista. A primeira é o clássico “A viagem da hiena” (1973), do senegalês Djibril Diop Mambéty. A segunda, o documentário “Mil sóis” (2013), de Mati Diop, sobrinha de Mambéty. A sessão será no auditório do Porto Iracema, a partir das 14h e é gratuita e aberta ao público.

Para compor o debate após a sessão, o convidado é Leon Reis, realizador e estudante da quarta turma do Curso de Audiovisual da Escola Vila das Artes. Ele realiza pesquisa sobre representação de corpos negros no cinema brasileiro e internacional. No ano passado, participou da produção e curadoria da Mostra Negritude Infinita, com programação somente de filmes realizados por diretores negros brasileiros.

SOBRE O CINECLUBE

O Cineclube Âncora foi criado por alunos do Porto, em 2017, com a proposta de ser uma extensão da experiência da sala de aula do Curso Básico de Audiovisual. Este ano, as sessões do Âncora acontecem quinzenalmente, sempre às quartas-feiras à tarde, no auditório do Porto.

SINOPSES

A VIAGEM DA HIENA / Touki Bouki (título original)

Djibril Diop Mambéty, Senegal, Drama, 1973, 89min

Com uma mistura estonteante de surrealismo e naturalismo, Djibril Diop Mambéty pinta um retrato vívido do Senegal no início dos anos 1970. Mory e Anta, dois jovens amantes desejam deixar a capital Dakar pelo glamour e conforto de Paris, mas seu plano de fuga é arruinado por complicações concretas e místicas. Uma jornada sobre escolhas. Touki Bouki, primeiro longa de Mambéty, é amplamente considerado um dos mais importantes filmes africanos já feitos.

 

“Mil Sóis”

MIL SÓIS / Mille soleils (título original)

Mati Diop, França, Documentário, 2013, 45min

Mati Diop se debruça sobre Touki Bouki, clássico dirigido por seu tio, o realizador senegalês Djibril Diop Mambéty. Mory e Anta estão apaixonados. Os dois sonham em sair de Dakar e partir para Paris, mas Anta vai sozinha. Mory permanece sozinho. O que aconteceu desde então? 40 anos depois, Mil Sóis investiga o universo do herói do filme, o ator Magaye Niang. Niang nunca saiu de Dakar, e agora imagina o que teria acontecido com Anta, o amor de sua juventude.

SERVIÇO

O quê: “Cineclube Âncora realiza sessão em comemoração ao Dia da África”

Quando: Quarta-feira, 16 de maio, às 14h

Onde: Auditório do Porto Iracema das Artes (R. Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema)

GRATUITO

 

 

Assessoria de Comunicação do Porto Iracema das Artes | Myke Guilherme

Publicado em: 08/05/2018