Campo Amor Rocha

Campo Amor Rocha

Ceará, 2018

Longa-metragem, Epopéia Nordestina, Ficção.

Sinopse: Sem se despedir dos filhos, Ivone, uma mulher de 30 anos, parte para finalmente seguir o sonho da sua vida: virar uma grande estrela do forró. Ao descobrirem o seu sumiço pela manhã, Iago (6) e Adeline (14) culpam um ao outro pela partida mãe. E Adeline, revoltada com a responsabilidade repentina, decide então encontrá-la, para devolver a ela o seu insuportável irmão. Já Iago acredita que Tocha, seu vira-lata, está fazendo greve de fome pela tristeza da partida de Ivone, e que longe dela vai acabar morrendo. Sozinhos no mundo, os três mergulham numa jornada pelo sertão cearense em busca da mãe cantora. Em meio às constantes desavenças entre os irmãos e ao definhamento do cachorro, os perigos e os desafios da vida de duas crianças na estrada vão se tornando cada vez maiores. É quando aprendem que perder quem se ama também pode ser um encontro.

Roteiristas:

Thaís Forte é graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Expôs a videoinstalação Feeling Azulzim (2017) no 68o Salão de Abril Sequestrado. Pesquisadora no campo da Arte e da Psicanálise, concluiu, em 2018, uma investigação realizada por dois anos e intitulada de Caravaggio e o corte na carne do tempo.
Yuri Peixoto é realizador e graduando em Cinema pela Universidade Federal do Ceará. Participou como curador do Festival de Cinema de São Miguel do Gostoso e do Circuito Penedo de Cinema. Programou, com a Vila das Artes, as mostras Nová Vlna, Corpo Audiovisual e Ritmos, Movimentos, Intervalos e Mudanças. Realizou os curtas Travessia (2017), Sete cigarros no bolso (2016), Feeling Azulzim (2017), entre outros trabalhos.
Ficha Técnica: 
Tutores: Karim Aïnouz, Nina Kopko e Sérgio Machado
Assessoria e consultoria de roteiro: Pablo Arellano e Luciana Vieira
Coordenadora: Lis Paim
Produtor: Marcos Ferreira