“Abissal” concorre a Melhor Curta Documentário do ano

O documentário “Abissal”, do cineasta cearense Arthur Leite, está concorrendo como Melhor Curta Documentário do Ano pela Academia Brasileira de Cinema, maior premiação do cinema nacional. O documentário teve seu projeto desenvolvido no 1° Laboratório de Audiovisual da escola Porto Iracema das Artes, em 2013, tendo tutoria dos cineastas Karim Ainouz, Marcelo Gomes e Sérgio Machado.

Em “Abissal”, Arthur Leite mergulha na história da sua família, em busca da identidade de seu avô que nunca conheceu. No processo, é a avó, Rosa, que vira personagem central, quando, diante da câmera, dispõe- se a fazer revelações inesperadas sobre esse passado desconhecido. “Abissal é um filme que tem me dado bastante orgulho de ter realizado. Primeiro por que não deveria ser um filme, mas um projeto de pesquisa para compor uma personagem ficcional de uma minissérie escrita no LabTV – Caminho de Volta. Esse material acabou se transformando no meu TCC, e já estava muito feliz por isso. Não poderia imaginar que esse filme, tão íntimo, tão particular, pudesse ganhar todo o reconhecimento que vem recebendo”, conta Arthur.

“Abissal” já foi exibido em quase 30 festivais e já ganhou vários festivais importantes do País, como explica Arthur Leite. “Vencemos o “É Tudo Verdade”, uma das principais competições de documentários e outros cinco prêmios de Melhor Documentário, Direção e Montagem. Já exibimos em quase 30 festivais, sendo os principais festivais do país, e esse mês estreamos na Europa na competição oficial do Festival de Málaga, um dos principais festivais da Espanha. Agora, com a indicação ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, a felicidade é enorme, pra mim e toda equipe. É um importante momento de reconhecimento do filme, num patamar exclusivo dos melhores filmes brasileiros realizados em 2016. Agora é torcer pelo prêmio, mas ABISSAL já me surpreendeu e nos levou a lugares inimagináveis para um pequeno filme-descoberta”.
Arthur Leite
Arthur Leite é um cineasta cearense, nascido em Quixeré, graduado em Audiovisual pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR. Aos 19 anos, realizou seu primeiro filme, que foi selecionado no Projeto Revelando os Brasis, o curta-metragem “Mato Alto – Pedra Por Pedra” um dos documentários mais premiados em 2011. Além de atuar como diretor e roteirista, Arthur também produz e, há três anos, exerce a função de curador e diretor de produção em dois festivais de cinema: Cine Jardim – Festival Internacional de Cinema de Belo Jardim, que está em sua 3ª edição, e na Mostra Curta Vazantes – Cinema em Comunidade, que está em sua 4ª edição e que acontece no interior do Ceará. Arthur assina a codireção no documentário musical “Os Vizinho de Trás”, gravado em Niterói e estrelado pelo cantor e compositor Luís Capucho e dirigido pelo carioca Rafael Saar. Arthur realizou, também, o premiado documentário “Tubarão”, de Leo Tabosa atuando como diretor assistente. Em 2016, Arthur lançou seu novo curta-metragem, o documentário “Abissal”, vencedor do 21º É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários e pré-qualificado ao OSCAR 2017 de Melhor Curta Documental, desenvolvido dentro do Laboratório de Audiovisual da escola Porto Iracema das Artes, com Tutoria de Karim Ainouz, Sérgio Machado e Marcelo Gomes. Agora o diretor prepara-se para dirigir a minissérie ficcional Caminho de Volta.
Sobre o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Maior premiação do cinema nacional, o Grande Prêmio chega a sua 16ª edição em 2017. O evento, premia os profissionais e filmes lançados comercialmente em 2016. O Prêmio é realizado pela Academia Brasileira de Cinema e conta com o Patrocínio Master da TV Globo através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, Apoio Institucional da ANCINE, Patrocínio do Canal Brasil através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, da Prefeitura do Rio de Janeiro por meio da RioFilme e Copatrocínio do Telecine, Cinemark e Hotéis Othon. A apuração dos votos é da PwC.

Categorias: Sem categoria

Comentário Encerrados.